MENU

Com mais polêmica, Real bate Sevilla no fim e enfrenta o Barcelona na final

Com mais polêmica, Real bate Sevilla no fim e enfrenta o Barcelona na final

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 9:24

Real Madrid e Sevilla trocaram provocações ao longo da semana, colocaram pressão na arbitragem e nada mudou. Depois da confusão sobre o gol anulado de Luis Fabiano no jogo de ida, o tento inválido de Negredo, nesta quarta-feira, no Santiago Bernabéu, deu nova polêmica à semifinal da Copa do Rei. Mais time, no entanto, os merengues se impuseram e novamente venceram, dessa vez por 2 a 0, com gols do alemão Özil e do togolês Adebayor, que anotou pela primeira vez pela nova equipe.

O resultado coloca Real Madrid e Barcelona frente a frente em uma decisão de Copa pela primeira vez desde a temporada 1989/1990, quando os catalães levaram a melhor. A partida será disputada no dia 20 de abril, em Valencia, muito provavelmente no estádio Mestalla, três dias depois do confronto no Santiago Bernabéu válido pelo segundo turno do Campeonato Espanhol. A sede da equipe de José Mourinho é das maiores, já que os merengues vêm de um revés por 5 a 0 no último clássico.

Os brasileiros Marcelo e Kaká não saíram do banco de reservas. O português surpreendeu, inclusive, ao colocar o lateral-esquerdo entre os suplentes, já que fora titular regularmente durante a temporada. De acordo com a imprensa espanhola, a mudança foi uma opção tática, já que o Sevilla apostava seus ataques pela direita, com o espanhol Jesus Navas. Arbeloa começou jogando. O atacante Adebayor, que já havia estreado diante do Osasuña, no fim de semana, atuou nos minutos finais e ainda deixou o seu.

O primeiro tempo manteve o tom da partida no Ramon Sanchez Pizjuán, há uma semana, e foi dos mais movimentados. Logo aos 4, o argentino Di María acertou a trave do goleiro Varas. Aos 10, o Sevilla chegou a abrir o placar, mas o juiz Teixeira Vitienes anulou o gol de Negredo. O atacante fora lançado e tocou por cima de Casillas, fora da área. Os jogadores reclamaram muito alegando que o espanhol estava na mesma linha do zagueiro Raúl Albiol.

O Sevilla foi com tudo para a frente na etapa final e cedeu espaços primorosos ao Real Madrid. Todas as peças ofensivas merengues estavam em boa noite, mas pecavam nas conclusões, principalmente Cristiano Ronaldo e Benzema. Foi aí que Özil chamou a responsabilidade e decidiu. Aos 37, o volante Khedira deu grande passe para o compatriota, que invadiu a área, limpou o goleiro e tocou para o gol vazio. Já nos acréscimos, Emmanuel Adebayor definiu o placar em bonito lance: Cristiano cruzou, o togolês dominou no peito e fuzilou para as redes. Que venha o mês de abril, pois o desejo de vingança é grande.

veja também