MENU

Com Mano no comando, Timão perdeu apenas um em 14 duelos no mata-mata

Com Mano no comando, Timão perdeu apenas um em 14 duelos no mata-mata

Atualizado: Segunda-feira, 3 Maio de 2010 as 9:05

A derrota para o Flamengo por 1 a 0, no Maracanã, na última quarta-feira, deixou os corintianos apreensivos sobre o futuro da equipe na Taça Libertadores. Para avançar, o Timão precisa inverter a vantagem rubro-negra com uma vitória por dois gols de diferença. Apesar da dificuldade, os números são favoráveis aos paulistas. Em 14 duelos pelo “mata-mata” sob o comando do técnico Mano Menezes, o Alvinegro só não levou a melhor em um.

O histórico começou logo nos primeiros meses de trabalho do treinador no Parque São Jorge, pouco depois do rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro. Pela Copa do Brasil de 2008, o Corinthians eliminou o Barras-PI (6 a 0), Fortaleza (2 a 1 e 2 a 0), Goiás (1 a 3 e 4 a 0), São Caetano (2 a 1 e 3 a 1) e Botafogo (1 a 2 e 2 a 1). Na decisão, o revés. Venceu o Sport por 3 a 1, no Morumbi, mas acabou derrotado por 2 a 0, na Ilha do Retiro, perdendo o título pelo número de gols marcados fora de casa.

Sem a Libertadores, o Corinthians voltou a se concentrar na Copa do Brasil na temporada seguinte. Desta vez, contando com Ronaldo. A equipe foi avançando no torneio com triunfos sobre Itumbiara-GO (2 a 0), Misto-MS (2 a 0), Atlético-PR (2 a 3 e 2 a 0), Fluminense (1 a 0 e 2 a 2) e Vasco (1 a 1 e 2 a 2). Na final, o encontro mais esperado do ano, diante do Internacional. E o Timão não decepcionou: venceu no Pacaembu por 2 a 0 e empatou por 2 a 2 , no Beira-Rio, ficando com o título.

Na mesma época, o Corinthians superou outro mata-mata para ser campeão paulista. Nas semifinais, bateu duas vezes o São Paulo (2 a 1 e 2 a 0). Já na decisão, não deu chances ao Santos: triunfo por 3 a 1, na Vila Belmiro, e igualdade por 1 a 1, no Pacaembu, encerramento a competição sem nenhuma derrota.

Para aumentar as chances alvinegras diante do Flamengo, o Corinthians conseguiu inverter a vantagem todas as vezes que precisou. Na Copa do Brasil de 2008, foi batido pelo Goiás por 3 a 1, no Serra Dourada, mas goleou por 4 a 0, no Morumbi. Nas semifinais, perdeu por 2 a 1 para o Botafogo, no Engenhão, respondeu com o mesmo placar em casa e avançou nos pênaltis. Já em 2009, levou 3 a 2 do Atlético-PR, na Arena da Baixada, e deu o troco com um 2 a 0, gols de Ronaldo.

Por Carlos Augusto Ferrari

veja também