MENU

Com muita dificuldade, Brasil derrota o Japão e continua invicto

Com muita dificuldade, Brasil derrota o Japão e continua invicto

Atualizado: Terça-feira, 6 Setembro de 2011 as 3:55

O Brasil entrou em campo já classificado e parecia que não queria muito jogo. Superpotência do futebol de areia, a Seleção Brasileira sofreu para derrotar o Japão por 3 a 2 no terceiro jogo da primeira fase do Mundial da Itália, em Ravenna. André (2) e Benjamin marcaram para o time verde e amarelo, enquanto Yamauchi e Komaki diminuíram para os nipônicos, que são comandados pelo brasileiro naturalizado japonês Ruy Ramos. O Brasil espera o duelo entre Taiti e Nigéria para saber seu adversário na próxima fase do torneio. O Japão se despediu da competição sem conquistar nenhum ponto.

- Eles jogaram bem soltos, porque já estavam desclassificados e não queriam sair da competição sem nenhuma vitória. Esse foi o melhor jogo que eu já vi deles e nós também não jogamos bem. Agora não podemos mais vacilar e nem cometer erros. Essa vai ser a primeira grande final e vamos com tudo - disse o técnico Alexandre Oliveira.

André comemorou muito os gols marcados na difícil virada sobre o Japão(Foto: Agência Getty Images / FIfa)

  Aos 4m04s, o japonês Yamauchi mostrou oportunismo e faro de artilheiro. O defensor Sousa falhou na frente do camisa 10 nipônico, que roubou a bola e chutou na saída do goleiro Mão. Após o revés, o time brasileiro partiu com tudo para o ataque, mas não conseguia criar grandes chances: as melhores oportunidades vinham de chutes de longa distância. A três segundos do fim, André conseguiu empatar a partida com um toque por cima do goleiro. Mesmo assim, os japoneses mostraram muito entrosamento e alcançaram 60% de posse de bola no período.

Logo aos dois minutos do segundo tempo, o Brasil teve uma ótima oportunidade. André chutou cruzado e Betinho não alcançou a bola, que passou rente à trave de Terukina. Uma jogada muito lamentada pelo camisa 4 brasileiro. Faltando cinco minutos para o final do período, o árbitro marcou penalidade máxima para o Japão. Na cobrança, Komaki não deu chances para Mão: 2 a 1 no placar do "Stadio del Mare".

Brasil saiu atrás no marcador, e conseguiu a virada

apenas do 3º período (Foto: Agência Getty Images / FIfa)

  O Brasil voltou massacrando no terceiro período. O primeiro chute explodiu na trave do goleiro nipônico. Mas na jogada seguinte, não teve jeito. Após o zagueiro japonês salvar em cima da linha, Benjamin só teve o trabalho de empurrar para a rede: 2 a 2. Com menos de um minuto, Benjamin cobrou uma falta, o goleiro Terukina tocou na bola e ela explodiu no travessão. Uma verdadeira blitz verde e amarela.

O artilheiro André foi o responsável por virar a partida. Ao receber o passe de Benjamin, o atacante girou em cima do zagueiro e chutou de voleio. Esse foi o terceiro gol do brasileiro em três partidas no Mundial. Benjamin tentou ampliar em uma boa jogada individual: o craque chutou forte e acertou a trave, assustando o goleiro japonês.

O Brasil tentou criar mais chances de gol, mas esbarrou na boa atuação do goleiro Terukina. Com o 3 a 2 no placar, o árbitro deu o apito final e os brasileiros passaram às quartas de final do torneio ainda invictos.

- Estou numa pegada boa e venho tendo sorte de fazer os gols. As oportunidades estão aparecendo e venho ajudando a equipe a sair com as vitórias. Vivo uma grande fase neste ano e espero continuar assim até o final da Copa - disse André.

México derrota a Ucrânia nos pênaltis e passa às quartas

Ucrânia e México fizeram o primeiro confronto do dia e dependiam só de si para passar às quartas. Antes do início da partida, ambos tinham três pontos e dividiam a segunda colocação do Grupo D, o mesmo do Brasil. E - após um empate em 1 a 1 - a Ucrânia carimbou seu passaporte para a segunda fase do Mundial com uma vitória nos pênaltis. Durante o tempo normal, Butko marcou o gol europeu e Cati fez para a seleção da América Central.

Com o resultado, a partida foi para a prorrogação. Como o empate persistiu, o jogo foi para a disputa de pênaltis e nenhum dos times começou bem. Na primeira cobrança, Villalobos chutou e Gladchenko evitou o gol mexicano. Borsuk só tinha que marcar para a Ucrânia passar à segunda fase, mas também perdeu. Rodriguez, segundo do México a bater, converteu. O ucraniano Yevdokymov perdeu a segunda cobrança e garantiu a classificação dos mexicanos.            

veja também