MENU

Com um a menos, Flu marca aos 50 do segundo tempo e bate o Santos

Com um a menos, Flu marca aos 50 do segundo tempo e bate o Santos

Atualizado: Segunda-feira, 3 Outubro de 2011 as 8:17

O Fluminense recebeu o Santos neste sábado, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, e conseguiu uma vitória maiúscula, com direto a gol triunfante aos 50 minutos do segundo tempo. Marquinho, Rafael Sobis e Márcio Rosário marcaram os gols dos 3 a 2 do Tricolor, que terminou a partida com um homem a menos (Digão foi expulso). Pelo Santos, que havia conseguido o empate aos 44 da etapa final, marcaram Neymar e Rentería.

Com o resultado, o Fluminense, que deixou o gramado aos gritos de "o campeão voltou" (foram 11.780 pagantes, renda de R$ 266.125), chega a 44 pontos e garante sua posição dentro do G-5 do Campeonato Brasileiro até o fim desta 27ª rodada. O Santos, por sua vez, estaciona nos 35 pontos, em 11º lugar. Na próxima rodada, o Fluminense faz o clássico com o Flamengo, em 9 de outubro (domingo), no Engenhão. O Santos volta a campo antes pelo Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, disputa um jogo adiado contra o Grêmio, no Olímpico.

No Fluminense, Abel Braga deu ao argentino Martinuccio sua primeira chance como titular. O argentino compôs o setor ofensivo ao lado de Fred. O meio foi formado por Edinho, Diguinho, Marquinho e Lanzini. Deco ficou como opção para o segundo tempo. No Santos, Muricy Ramalho foi a campo com três atacantes: Neymar, Borges e Alan Kardec. Os três, com muita movimentação, tiveram o apoio no meio de Arouca, Henrique e Elano.

Neymar se destaca

O jogo começou com o Fluminense tendo mais a bola, tentando agredir um bem postado Santos, que utilizava muita velocidade quando retomava a posse de bola. Inspirado, Neymar deu diversas arrancadas e tirou o sono principalmente de Mariano pela ponta esquerda. As primeiras boas chegadas foram santistas. Borges, em chute da direita, testou Diego Cavalieri, que se saiu bem. Depois, foi a vez de Neymar perder boa chance após linda arrancada de Arouca. O volante tabelou com Borges e serviu Neymar na área. O jovem atacante se livrou de Digão com um chapéu e bateu, mas a bola saiu por cima do gol.

O Fluminense também criou suas chances. Fred, de cabeça, e Marquinho, com o pé esquerdo, obrigaram Rafael e fazer grandes defesas quando o placar ainda estava 0 a 0. Foi o goleiro, por sinal, que iniciou o lance do primeiro gol do jogo. Aos 32, após agarrar uma bola, Rafael bateu rapidamente na direção da ponta esquerda, onde estava Neymar. O atacante recebeu nas costas de Mariano, arrancou para a área, limpou Diguinho e bateu rasteiro, sem muita força. Diego Cavalieri ainda chegou a tocar na bola, mas ela foi morrer no fundo da rede. Na comemoração, rente à linha de fundo, Neymar por pouco não foi atingido por um saquinho de pó de arroz atirado pela torcida.

Apesar de ficar em desvantagem, o Fluminense não baixou a guarda. Mesmo sem ser envolvente, não deixou de buscar o ataque e foi premiado ainda antes do intervalo. Após bola levantada da direita, Elano afastou mal na entrada da área e acabou por deixar a bola limpa para Fred. O atacante deu passe açucarado para Marquinho, que precisou bater duas vezes para empatar a partida.   Márcio Rosário é agarrado por Euzébio e Marquinho na comemoração da vitória.

Autor do terceiro gol, zagueiro entrou no lugar de Fred por causa da expulsão de Digão (Foto: Dhavid Normando/Photocamera)

Sobis e a virada

Na volta do intervalo, o técnico Abel Braga mexeu no time do Flu: o argentino Lanzini deu lugar a Deco. No Santos, Muricy não fez mais mudanças (ao longo do primeiro tempo, o lateral Danilo, sentindo dores de garganta, havia pedido para sair e foi substituído por Adriano). O time carioca voltou mais animado. Logo no início, por pouco não virou. Em falta batida por Deco na direção da área, Rafael saiu mal, e Leandro Euzébio entrou livre no segundo pau. O zagueiro, entretanto, cabeceou a bola na trave.

Aos poucos, o Santos equilibrou as ações. Borges teve uma grande chance para marcar o segundo, após boa jogada de Kardec, mas mandou na lua. Arisco, Neymar seguiu dando trabalho, e o Peixe deu a pinta que tinha mais chance de marcar pela segunda vez.

Abel Braga, então, resolveu mandar Rafael Sobis a campo. Eram decorridos 19 minutos quando o atacante tomou o lugar de Martinuccio, que teve atuação discreta e deixou o jogo irritado, sem aceitar a água que lhe foi oferecida. A substituição, entretanto, mostrou-se determinante para o rumo do jogo. Aos 26, Sobis recebeu fora da área e soltou uma bomba, no ângulo, para determinar a virada do Fluminense.

Digão é expulso

Perdendo o jogo, o técnico Muricy Ramalho resolveu tentar as últimas cartadas. O recém-chegado atacante Rentería (aquele mesmo, ex-Internacional) entrou no lugar de Elano, enquanto Ibson foi para o jogo na vaga de Arouca. O expediente tornou o Santos mais ofensivo. Em boa jogada de Neymar, Rentería teve a chance do empate, mas parou nas mãos de Cavalieri.

Aos 36, o Fluminense ficou com um homem a menos. Digão, que já tinha levado um cartão amarelo no primeiro tempo, deu uma solada violenta em Rentería e recebeu o vermelho direto. Para recompor a defesa, com a entrada de Márcio Rosário, Abel precisou tirar Fred.

Em vantagem numérica, o Santos foi para cima em busca do empate. A pressão foi grande e acabou por surtir efeito aos 44. Neymar fez boa jogada pela esquerda, cortou para o meio e serviu Rentería, na entrada da área. O estreante bateu rasteiro, no cantinho.

As emoções, entretanto, não tinham acabado. Aos 50, Márcio Rosário complementou de cabeça uma cobrança de escanteio e fez a festa da torcida tricolor em Volta Redonda.                   Vídeo: Youtube

veja também