MENU

Com vuvuzela nos treinos, árbitros dizem que barulho não incomoda

Com vuvuzela nos treinos, árbitros dizem que barulho não incomoda

Atualizado: Quarta-feira, 30 Junho de 2010 as 9:38

Árbitros treinam em Pretória com vuvuzelas

(Foto: Thiago Dias / Globoesporte.com)  

Os árbitros da Copa do Mundo não conseguem fugir das vuvuzelas nem nos treinos. Durante a atividade dos juízes, a Fifa coloca um disco com o som das cornetas nos alto-falantes da escola usada como centro de treinamento em Pretória. Mas eles não reclamam. Dizem que até gostam. - A vuvuzela nunca me atrapalhou. É um atrativo a mais nos jogos desta Copa. É claro que é um negócio novo para a gente, mas temos que nos adaptar até nos treinos - disse o brasileiro Carlos Eugênio Simon, que apitou duas partidas na África do Sul até agora.

O mexicano Marco Rodriguez lembrou que as cornetas não são novidade no futebol. Segundo o juiz, o barulho é normal nos estádios do México há muitos anos. Mas o volume bem menor...

- Estamos treinando com esse som há 29 dias, como adaptação. E já estamos adaptados. No México tem vuvuzela, um pouco mais baixo, e não me incomoda. Até gostamos - afirmou.

Responsável por um dos lances mais polêmicos da Copa, o africano Koman Coulibaly, do Mali, afirmou que o barulho não foi responsável por falta de comunicação entre o trio de arbitragem na partida entre Estados Unidos e Eslovênia. Aos 39 do segundo tempo, ele anulou um gol legítimo do americano Maurice Edu.

- Não foi problema de comunicação. É necessário tomar a decisão na hora. Depois, quando você assiste novamente ao lance, serve como aprendizado para evolução. Mas os árbitros não devem dar explicação a jogadores - concluiu.     Por Thiago Dias Direto de Pretória, África do Sul

veja também