MENU

Comportamento de Marcos assusta jovens, mas goleiro mantém moral

Comportamento de Marcos assusta jovens, mas goleiro mantém moral

Atualizado: Terça-feira, 10 Maio de 2011 as 9:15

Marcos sai cabisbaixo após goleada do Coxa. Moral segue alta no elenco  (Foto: Ag. Estado)

  Em uma época de declarações engessadas, jogadores blindados por assessorias e utilização em massa do Twitter pelos boleiros, o goleiro Marcos se destaca pela sinceridade a cada entrevista. Sem precisar da rede social para dizer o que pensa, o camisa 12 do Palmeiras assustou os jogadores mais jovens do elenco depois da goleada por 6 a 0 sofrida diante do Coritiba, no Couto Pereira, pela Copa do Brasil - ele não jogava havia dois meses. Marcos falhou em alguns lances, mas, no entanto, sua moral continua intacta no elenco - apenas com as diferenças naturais entre jogadores mais novos e mais velhos.

Diante do Coxa, o goleiro desabafou dizendo que ele tinha uma carreira vitoriosa e os mais novos tinham de ser cobrados. No vestiário, ninguém contestou o camisa 12. Depois, já em São Paulo, alguns se manifestaram, mas nenhum em tom de repúdio às declarações do Santo.

- Fica um pouco chato para nós, mas é normal. O Marcos é um ídolo e temos de respeitar. É reação de um cara que ama o clube - afirmou um jogador, que não quis ser identificado.

Durante o jogo, as reações do goleiro chamaram a atenção. Bastante irritado a cada gol sofrido, ele chutava com força a bola contra as redes e gesticulava bastante. O jeitão do goleiro, que gesticula muito durante as partidas, já é encarado com maior naturalidade pelos garotos.     - Ele é assim mesmo. No começo você acha que é algo forçado, mas no dia a dia ele é muito sincero, autêntico - disse o mesmo jogador.

No cotidiano palmeirense, Marcos é, naturalmente, mais próximo dos outros goleiros do elenco. Bruno e Deola são parceiros do camisa 12 e trocam elogios constantemente. Nos treinos, eles brincam bastante e mostram boa amizade. Danilo, Marcos Assunção e Kleber também são mais chegados a Marcos.

Com o técnico Luiz Felipe Scolari, a relação segue estreita. Sob o comando de Felipão, Marcos participou como titular da conquista do pentacampeonato mundial em 2002, com a Seleção Brasileira, e as duas partes se respeitam. Após o jogo em Curitiba, na entrevista coletiva, Felipão minimizou a atitude de Marcos. Na diretoria, a sensação é a mesma: o goleiro segue em alta.

- O Marcos é nosso ídolo, às vezes se exalta um pouco, mas sabemos que não é por mal. Não é algo que cause alguma intriga no grupo - assegurou o vice-presidente Roberto Frizzo.

Em outros tempos, porém, o comportamento do goleiro já causou problemas - principalmente com Vanderlei Luxemburgo. Em 2008, após uma derrota por 1 a 0 para o Grêmio, o técnico criticou duramente a atitude de Marcos, que nos minutos finais foi várias vezes à área adversária para tentar fazer o gol de empate. Após uma dura de Luxa, Marcos se desculpou.

O goleiro está com 37 anos - completa 38 em agosto. Ele já avisou que esta é sua última temporada como jogador profissional. Depois, pode vir a trabalhar no próprio Palmeiras, na comissão técnica - ainda não definiu em qual função. Humilde, Marcos reconhece que não está 100% física e tecnicamente, e diz não se importar em ser colocado na reserva de Deola. Todos no elenco sabem que não se trata de um discurso da boca pra fora. Mais um motivo para respeitarem o "Santo".

Em meio ao desabafo de quinta-feira, ele deu uma boa notícia: vai jogar a partida de volta contra o Coritiba nesta quarta-feira, às 21h50m, no Pacaembu. Se o Verdão conseguir uma vitória, mesmo que não se classifique para as semifinais, a reação do goleiro, certamente, será bem diferente da vista no Couto Pereira.

Marcos ficou na reserva durante clássico contra o Corinthians (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)        

veja também