MENU

Consciente dos limites, Serginho volta à seleção com empolgação de calouro

Consciente dos limites, Serginho volta à seleção com empolgação de calouro

Atualizado: Quinta-feira, 12 Maio de 2011 as 10:07

Em março deste ano, Serginho cogitou aposentar-se da seleção brasileira. Desde novembro de 2009 sem defender o Brasil devido a uma lombalgia e, posteriormente, à recuperação de uma cirurgia de hérnia, o líbero foi convencido pelo técnico Bernardinho de que ainda tinha história para escrever com a camisa verde e amarela. Esta semana, o campeão da Superliga se apresentou no CT de Saquarema, no Rio de Janeiro, para os treinamentos visando à disputa da Liga Mundial. Apesar da bagagem recheada de conquistas, tanto com o grupo quanto individuais, o atleta mantém a motivação de exatos dez anos atrás, quando defendeu as cores nacionais pela primeira vez.

Serginho mostra bom humor no treino da seleção em Saquarema (Foto: Helena Rebello/Globoesporte.com)

  - Ele é um exemplo de que precisamos. Tem a mesma alegria como se fosse o primeiro ano no grupo. Parece que está chegando agora – disse Bernardinho.

Com 35 anos, placa e quatro parafusos nas costas, Escadinha agora se diz mais prudente com seus limites. Mas, enquanto a dor não vem, a doação em quadra permanece total.

- Cheguei sabendo que ia treinar, treinar, treinar. A motivação será sempre a mesma, o espírito, o jeito de trabalhar. Eu até falo que vou dar uma segurada, mas não tem jeito. Acabo sempre me dedicando mais do que imaginava. A diferença é que agora tenho consciência das minhas costas, não posso abusar. Não sinto dor e, se soubesse, teria operado até antes. Mas, se sentir um desconforto, tenho que parar. Não porque quero, mas porque é necessário. Vou jogar até a hora que der pra mim. Só não adianta me fazer acordar às 7h da manhã para treinar, que eu não vou. Já avisei ao Bernardinho – brincou.

O bom humor continua sendo uma das principais características do defensor. Mais experiente do grupo ao lado de Giba e Gustavo, ele reforça a importância de uma postura descontraída para lidar com a pressão por conquistas.

Serginho vibra com defesa pelo Brasil: última vez que defendeu o país foi em 2009 (Alexandre Arruda)

  - Temos que bagunçar um pouco. Se levarmos só a sério o tempo todo, ficamos loucos. Claro que o treino tem os momentos de seriedade, mas é preciso um pouco de bagunça também. Não é por isso que o trabalho deixa de ser sério. Até porque, se erramos a mão, perdemos. Aqui não dá para errar.

Enquanto esteve fora da seleção, Serginho foi substituído por Mário Júnior. No Mundial da Itália, o jogador do Vôlei Futuro foi, inclusive, eleito o melhor líbero da competição. Com a volta de Escadinha, entretanto, já disse que não se importa em voltar para o banco de reservas, de onde tantas vezes assistiu a atuações de gala do companheiro. Sem se preocupar com a disputa por vagas, o atleta do Sesi acredita que poderá ser substituído à altura caso esta seja a opção de Bernardinho.

- Mário e o Alan (cortado devido a uma fratura no osso escafóide, mas que continua treinando com a seleção) não são mais promessas, são realidade, já estão chegando nos 30 anos. Líbero, quanto mais velho, melhor, pois precisa de muita experiência. Não dá para colocar um garoto que nunca viveu nada na seleção adulta. Mas eles já jogaram a Liga, Alan jogou na Rússia... Conhecem o grupo e já tem uma bagagem necessária. Os dois já deram provas que têm condições de ser titular.

Junto com a delegação brasileira, Serginho viaja para Porto Rico no dia 23 de maio. A seleção treinará no Ginásio Roberto Clemente, na capital San Juan, até o dia 27 quando estreia diante dos donos da casa pela Liga Mundial. Estados Unidos e Polônia completam o Grupo A da competição.        

veja também