MENU

Conselho Fiscal do Fla dá parecer contrário a adiantamento

Conselho Fiscal do Fla dá parecer contrário a adiantamento

Atualizado: Quarta-feira, 19 Outubro de 2011 as 3:06

O Conselho Fiscal do Flamengo vai emitir nesta quarta-feira um parecer contrário ao pedido de adiantamento de R$ 40 milhões da verba do contrato de televisão. O relatório, assinado pelo relator Sebastião Pedrazzi, será enviado ao Conselho de Administração, mas não tem poder de veto.

Em ofício enviado no dia 27 de setembro, a presidente Patrícia Amorim pede uma " autorização prévia para operar a antecipação de recebíveis " e justifica-se informando que o valor é necessário para a “manutenção dos pagamentos, em dia, dos salários dos atletas, funcionários, tributos e impostos”.

De acordo com o presidente do Conselho Fiscal, Leonardo Ribeiro, o dinheiro que a dirigente busca já estava previsto no orçamento anual, estipulado em R$ 153 milhões.

- A justificativa (do pedido) foi falha. São despesas correntes, que estavam no orçamento. Pagar 13 meses de salários já estava previsto. Para pegar esse valor teriam que justificar um fato novo... Talvez a contratação do Messi. Ou então se a Traffic desistisse de pagar o Ronaldinho. Aí pensaríamos e provavelmente aprovaríamos. A nossa sugestão é que se tire esse tema de pauta ou apresentem outra justificativa – afirmou Capitão Léo.

A votação do tema acontece nesta quinta-feira, na Gávea. Caso não consiga o “ok” para pegar o dinheiro, a diretoria terá de pensar em outras alternativas para pagar as folhas de setembro, outubro, novembro e 13º.

- Eles deveriam vender jogadores. Temos 90 atletas sob contrato. Organiza um excursão para a Europa e negocia uns três meninos por R$ 10 milhões. Depois temos mais alguns recebíveis, como os R$ 17 milhões que ganhamos do processo da Cosan. Precisamos de criatividade – disse o presidente do Conselho Fiscal.

Como seria o adiantamento

Segundo o documento que o GLOBOESPORTE.COM teve acesso, o Rubro-Negro compromete-se a pagar o adiantamento de R$ 40 milhões ao banco que o avalizará em 48 parcelas a juros mensais de 1,7%. Nestas condições, para quitar o financiamento, o clube terá que desembolsar R$ 58,83 milhões até 2015 (o mandato da atual diretoria termina no fim do próximo ano).

   

veja também