MENU

Contas na mesa: Lusa tem 99% de chances de voltar à elite nacional

Contas na mesa: Lusa tem 99% de chances de voltar à elite nacional

Atualizado: Quinta-feira, 6 Outubro de 2011 as 10:20

Jorginho não quer ver a Portuguesa se acomodando

(Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

  Muito perto de voltar à elite do futebol nacional, a Portuguesa só se prende a uma lógica: somar três pontos a cada partida para que o acesso chegue o mais rápido possível. O técnico Jorginho evita fazer projeções e até chamou de diabinhos, em tom de brincadeira, os jornalistas que insistem em questionar os jogadores sobre a impossibilidade do acesso escapar. Como matemática não faz mal a ninguém, o GLOBOESPORTE.COM “pega seu tridente” e coloca as contas da Série B na mesa com o analista Tristão Garcia.

Não precisa ser matemático para perceber que a campanha da Lusa nesta Segundona é fora do comum. Com 57 pontos em 28 jogos disputados, a equipe do Canindé abriu oito pontos de vantagem para a vice-líder Ponte Preta a dez rodadas do fim do campeonato. A diferença para o quinto colocado, o Boa Esporte, é de 12. Uma margem que deixa a Portuguesa tranquila. Baseado no retrospecto dos times e nos jogos que eles ainda têm a disputar, Tristão Garcia calcula que a Lusa tem 99% de chances de voltar à Série A em 2012.

- Na última rodada, os times precisam ter somado 64 pontos para garantir o acesso sem depender de tropeços dos concorrentes. A chance de isso falhar é de menos de 2%. Muita coisa teria que sair da normalidade.   Com apenas mais três vitórias, a Lusa ultrapassará essa barreira e somará 66. Para cantar vitória antes da hora, porém, é preciso mais. Tristão explica que a exigência para assegurar matematicamente uma vaga antecipada na elite do futebol nacional é próxima dos 70 pontos, já que quanto maior for o número de partidas a serem disputadas, maior a possibilidade de “combinações absurdas”. No entanto, Jorginho avisou que só vai dar sossego aos jogadores quando os 99% de chances se tornarem 100%.

- Todo mundo fica elogiando e tenho que ficar dando no meio dos jogadores, se não o salto fica mais alto que o Canindé.

Cautela à parte, a regularidade da Portuguesa impressiona o matemático. Ele estima que um time precisa ter uma média de dois pontos por jogo para ser campeão, tanto na Série A quanto na B. Pode parecer pouco, mas na era dos pontos corridos, apenas o Corinthians de 2008 e o Vasco de 2009 alcançaram o feito. A Lusa, que não perde há 11 rodadas, tem um ponto a mais do que necessita.

- A Portuguesa tem um ponto de gordura e vem mantendo essa média. Nos últimos anos, ninguém teve essa média na Série A. Em 2008, o São Paulo ficou um ponto abaixo. É um espetáculo a campanha da Lusa. Algo que os grandes não conseguem fazer entre os grandes. Só o Corinthians e o Vasco conseguiram na Segundona de 2008 e 2009, respectivamente. Para um time como a Portuguesa, isso é uma façanha – disse Tristão Garcia.

Guilherme e Henrique comemoram gol da Portuguesa contra o ASA, no Canindé (Foto: Ag. Estado)

  Além dessa regularidade invejável, a reta final favorável é mais um trunfo da Portuguesa na busca pelo título da Série B. Dos dez jogos, quatro são contra equipes que lutam contra o rebaixamento – Salgueiro, Vila Nova, Duque de Caxias e Icasa – e apenas um dos quatro confrontos diretos com times da parte de cima da tabela será longe do Canindé – encara o Americana fora de casa e Boa Esporte, Ponte Preta e Sport, no Canindé. As outras duas partidas são contra equipes que ocupam posições intermediárias na tabela – Vitória e Criciúma.   Se mantiver a média de dois pontos por partida, a Lusa só poderia ser ultrapassada pela Ponte Preta em caso de nove vitórias e um empate da Macaca nos dez jogos restantes.

- As chances de a Portuguesa ficar com o título são de 88%. É preciso 75 pontos para ser campeão, mas, com 72, já é super provável que a equipe leve a taça – estima Tristão Garcia.

Apesar de o acesso ser mais importante do que a conquista do título da Série B, o técnico Jorginho já deixou claro que a taça tem um valor especial para a Lusa e, com a classificação bem encaminhada, tornou-se o novo foco da equipe do Canindé. A Portuguesa não ganha um título de expressão desde o Campeonato Paulista de 1973. Por isso, o treinador quer, além de voltar à elite do futebol nacional, devolver à Portuguesa o status de time grande.

- Queremos fazer com que todos honrem a camisa da Lusa, a história que esse time tem. A Portuguesa é um time grande e tem de ser respeitado com tal.

O elenco parece ter afinado o discurso com o treinador.

- Ainda não vi o Canindé lotado e espero ver no dia do título. O grupo todo quer deixar uma história bonito para esse clube, que merece muito – disse Marco Antônio.            

veja também