MENU

Contra a altitude, Inter terá bacias com água e tubos de oxigênio

Contra a altitude, Inter terá bacias com água e tubos de oxigênio

Atualizado: Terça-feira, 15 Março de 2011 as 9:39

É na altitude de 2,5 mil metros de Cochabamba que reside a maior fatia da preocupação colorada para o jogo de quarta-feira, contra o Jorge Wilstermann, pela Libertadores. Nos últimos dias, o elenco do Inter conversou sobre o assunto repetidas vezes com profissionais como o técnico Celso Roth, o preparador físico Fábio Mahseredjian e o médico Luiz Crescente. O clube demonstra atenção com o assunto, mas não temor. E toma medidas para amenizar o problema: elas vão de bacias d’água nos quartos a tubos de oxigênio na casamata.

O Inter não vê razão para pânico. Afinal, passou sem grandes traumas por situação até pior no ano passado. Nos quase 3 mil metros de Quito, empatou por 1 a 1 com o Deportivo, e os atletas estiveram longe de cair desmaiados no gramado. Mas algumas ações estão programadas para melhorar a situação do elenco. O clube levou à Bolívia sua nutricionista, que preparou um cardápio específico para um jogo nas alturas. Os jogadores trocarão proteínas por carboidratos: em vez de carne, capricharão na massa. Eles também estão aconselhados a ingerir muito líquido.

Outras medidas são até curiosas. Quando o Inter chegar ao hotel em Cochabamba, na terça-feira, os atletas serão acompanhados por bacias cheias d’água em seus quartos. Assim, o ar ficará mais úmido, o que permitirá melhor respiração. Para a partida, o clube solicitou tubos de oxigênio, que devem ficar presentes na casamata, mas não escancarados. A ideia é não assustar os jogadores.

É tudo por precaução. O Inter se sente pronto para encarar a altitude. A visão vermelha é de que as duas semanas de preparação no Beira-Rio, com treinos muitas vezes focados na capacidade física, serão sentidas como fôlego extra em Cochabamba.

Mas há outros aspectos, mais técnicos, que também recebem influência da altitude. A velocidade da bola é um exemplo. E quem mais pode sofrer com isso é o goleiro Lauro, o responsável por evitar que a rede vermelha seja balançada.

- Temos muitos jogadores experientes, que já vivenciaram a altitude. Adaptado, ninguém está, a não ser jogadores que atuaram em países como Bolívia e Equador. Não tem como. A gente sabe das dificuldades na respiração, na velocidade da bola, no domínio, no passe. Já tivemos algumas conversas sobre o assunto. Confiamos no trabalho físico que foi feito nesse período para não faltar ar – disse Lauro.

O goleiro prevê maior incidência de chutes de longa distância e de cruzamentos para a área por causa da altitude. Será uma tentativa, na visão dele, de o Jorge Wilstermann tirar vantagem da situação.

- Pelo posicionamento que nossa equipe adota, espero uma partida de muitas finalizações de fora da área. Por causa da altitude, eles se aproveitam disso. Eles também se aproveitam da bola parada. As condições mudam. É um alerta para nós. Não podemos ser surpreendidos.

O Inter cogitou ir para Cochabamba no dia do jogo, partindo de Santa Cruz de la Sierra, mas ficou com medo de que a logística fosse destruída por algum contratempo. Por isso, irá para a cidade na noite desta terça-feira.

Dicas coloradas para amenizar a altitude

Sem pânico: o clube alerta os jogadores de que não há motivo para grandes temores. A altitude existe, mas não é tão significativa assim. Se a turma ficar encucada demais, pode sentir efeitos psicológicos da altura.

Carboidratos em vez de proteínas: os atletas mais carnívoros terão que se controlar. Como a carne vermelha é de difícil digestão, ela será evitada. A ideia é aumentar a dose de carboidratos, ricos em energia.

Muita água: o Inter pretende fazer com que seus atletas bebam muita água. Enfrentar a altitude sem a hidratação adequada pode complicar a vida colorada na partida.

Bacias no quarto: para evitar o desconforto do ar seco em Cochabamba, os jogadores terão bacias d’água como companheiras de quarto. A ideia é deixar os atletas o maior tempo possível em um clima próximo ao habitual.

Tubos de oxigênio: por via das dúvidas, haverá tubos de oxigênio à disposição dos atletas durante a partida. Mas é só para o caso de algum deles passar mal. O clube nem pretende expor o material aos atletas, para não assustá-los.

veja também