MENU

Contra lesões, técnico Tite admite fazer rodízio de titulares no Timão

Contra lesões, técnico Tite admite fazer rodízio de titulares no Timão

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2011 as 9:04

Com o rodízio, Emerson pode ganhar mais

chances no time (Foto: Agência Estado)

  Alex e Emerson ganharam um motivo para não se preocuparem com o banco de reservas no Corinthians. Por causa do desgaste físico dos atletas com rodadas no meio e aos finais de semana, o técnico Tite pode promover um rodízio com os titulares que apresentarem um cansaço excessivo. Tudo para evitar lesões que afastem os jogadores por um longo tempo.

- A ideia não era essa, porque a equipe que se repete vai ter coordenação dos movimentos. A menos que nós não tenhamos tempo para a recuperação. Aí, sim, podemos fazer isso (rodízio) com os indícios da fisiologia - explicou.

Curiosamente, os jogadores que mais preocupam a comissão técnica atuam nas posições de ataque: Danilo, Jorge Henrique e Liedson, os três jogam em setores que Alex e Emerson se adaptam facilmente. O outro é o lateral-direito Weldinho, titular enquanto Alessandro não se recupera totalmente da lesão na coxa direita.

Liedson, aliás, tinha uma atenção especial desde que chegou. O jogador foi liberado recentemente por uma semana para descansar, já que vinha em atividade sem interrupção desde julho do ano passado. Mesmo assim, o atleta necessita sempre de um dia a mais de recuperação em comparação com o restante do elenco.

O Corinthians mede o desgaste físico do elenco com testes de sangue para detectar a presença da enzima creatina quinase (CK). Ela é liberada pelo organismo quando ocorrem micro-lesões na musculatura. Através dos resultados, o corpo clínico detecta quem está mais cansado e, consequentemente, propenso a se lesionar.

Depois de vencer o Bahia, em Salvador, o Corinthians terá uma semana sem rodadas e só voltará a jogar no dia 6 de julho, contra o Vasco, no Pacaembu. Entretanto, a partir de 24 do mesmo mês iniciará uma maratona com partidas em curto intervalo de tempo, acabando em 20 de agosto, contra o Figueirense. Serão nove jogos neste período.

- Quarta e domingo é fogo. Precisamos monitorar isso. Quando é domingo para quarta, dá 72h. É um tempo menor que de quarta para domingo. Temos quatro dias. Tenho de considerar tudo isso – finalizou o treinador.          

veja também