MENU

Coritiba vence fácil em casa e manda o Atlético-MG para a Z-4

Coritiba vence fácil em casa e manda o Atlético-MG para a Z-4

Atualizado: Segunda-feira, 15 Agosto de 2011 as 8:19

            Mais na raça do que na técnica, o Coritiba voltou a vencer dentro da casa na tarde deste domingo. A vítima foi o Atlético-MG, no estádio Couto Pereira. Bill, Rafinha e Leonardo balançaram as redes do Galo, no jogo válido pela 16ª rodada do Brasileirão 2011.

O Coxa continua na décima posição, agora com 21 pontos e na quarta-feira pega o Santos, na Vila Belmiro. Já o Atlético-MG fica com 15 pontos e entra na rodada na zona de rebaixamento, na 17ª posição. Na sequência do Brasileiro enfrenta o Corinthians, no Ipatingão, também na quarta-feira.

Coxa sai na frente Tanto Coritiba como o Galo precisavam da vitória. Mas no lado coxa-branca, o técnico Marcelo Oliveira foi mais ousado e cumpriu a promessa de alterações no time. Sacou o volante Léo Gago e o atacante Marcos Aurélio para a entrada de dois meias-atacantes: Everton Costa e Anderson Aquino. Para repor a meia cancha, recuou Tcheco.

No lado alvinegro, Cuca realizou a sua estreia no comando do Atlético-MG pelo Brasileirão. Durante a semana - em que dirigiu o time pela primeira vez na derrota para o Botafogo pela Sul-Americana - já tinha declarado que um empate não era um resultado ruim. Por isso foi mais cauteloso e escalou o Galo no 4-5-1, com André mais avançado no ataque.

Apesar da formação tática das duas equipes, o que se viu em campo foram oportunidades para os dois lados. O Coritiba com maior domínio de bola e investindo mais, enquanto o Atlético-MG era veloz e eficiente, principalmente pelas pontas, perturbando a defesa alviverde.

O que faltava para o Coxa era um pouco mais de criação nas jogadas, enquanto o Galo assustava em todas as oportunidades em que descia. Aos 23, o lateral-esquerdo Guilherme Santos bateu forte, e Edson Bastos espalmou. Se o time da casa estava devendo na área criativa, o jeito era apelar para raça e determinação. O lance do gol começou com uma bela jogada: após o ataque mineiro, Edson Bastos encobriu Bernard e mandou para a frente. Tcheco avançou e cruzou. No bate-rebate, o artilheiro Bill mandou para o fundo da rede: 1 a 0 Coritiba e explosão de alegria dos até então desconfiados torcedores alviverdes.

Reprise da primeira etapa Na volta do intervalo, os dois técnicos mexeram em suas equipes. No campo coxa-branca, Oliveira sacou o atacante Everton Costa, que voltava de lesão após três semanas, e colocou Marcos Aurélio. No Galo, Cuca avançou a marcação, com a primeira linha de quatro defensores postada bem na metade do campo defensivo. Do 4-5-1, o time passou a jogar no 4-4-2. Para isso, Cuca tirou o meia Caio e colocou o atacante Neto Berola. E ainda trocou André por Guilherme no ataque. Mais tarde, lançou Wesley na vaga de Fillipe Soutto.

Precisando de um gol para pelo menos sair com um ponto de Curitiba, a equipe mineira se lançou ao ataque, porém falhava em muitos passes na meia-cancha e não conseguia achar um caminho para furar o bloqueio defensivo do Coxa. Observando a queda de rendimento do seu time, Oliveira chamou o meia Geraldo e tirou o apagado Anderson Aquino. O objetivo era dar mais velocidade e ginga ao setor de criação alviverde.

A entrada do meia angolano surtiu efeito. Com Geraldo pela esquerda e Marcos Aurélio mais na ponta direita, o Coxa voltou a ter domínio da partida, e em três minutos saíram dois cartões amarelos: Serginho e Wesley, na tentativa de parar o ataque alviverde.

Se os torcedores acharam o primeiro tempo parecido com a etapa complementar, não se enganaram. O Coritiba definiu a partida nos últimos quinze minutos. Toró derrubou Rafinha na área atleticana. O próprio Rafinha cobrou o pênalti e marcou no rebote do goleiro Renan Ribeiro, olhando para trás na hora de tocar para o gol.

Aos 42, nova penalidade máxima para o Coxa. Substituto de Bill, Leonardo foi derrubado pela zaga atleticana. O próprio atacante chutou e ampliou para 3 a 0. Fim do domingo de festa para os 16. 328 torcedores no Couto Pereira (para uma renda de R$ 241.900).            

veja também