MENU

"Coroas" do Galo garantem a vitória sobre o Democrata, e time pula para quinto

"Coroas" do Galo garantem a vitória sobre o Democrata, e time pula para quinto

Atualizado: Segunda-feira, 8 Março de 2010 as 12

Obina começou bem, Muriqui se movimentou com velocidade, e Ricardinho e Renan Oliveira tiveram bons momentos. Mas quem garantiu a vitória do Galo no MIneirão foram os 'coroas'. Marques, o xodó da torcida, 37 anos, entrou na partida e iniciou a jogada do gol marcado pelo lateral Júnior, 36 anos, aos 20 minutos do segundo tempo. O triunfo por 1 a 0 sobre o Democrata de Governador Valadares devolveu a alegria à grande maioria dos mais de 11 mil torcedores presentes no Mineirão neste sábado.  

O Atlético Mineiro pula do sétimo para o quinto lugar no Campeonato Mineiro, com 12 pontos ganhos, e agora espera o desfecho da rodada, que continua neste domingo, para respirar melhor ainda na tabela. Precisa secar o Villa Nova, que enfrenta fora de casa a Caldense, para não ser ultrapassado. A torcida torce por uma reação, já que apenas oito se classificam para a próxima fase. 

Antes da nona rodada, quando enfrenta a Caldense, também no Mineirão no sábado, o Galo tem um compromisso no Estádio Nassari Mattar, em Teófilo Otoni, na quarta-feira, às 19h30m. A equipe vai continuar a partida contra o América local, paralisada na quarta-feira, dia 3 de março, aos 20 minutos do segundo tempo, por causa da forte chuva, quando estava empatada por 2 a 2.

O Democrata, com a derrota, se mantém em terceiro lugar, com 16 pontos ganhos, sem chance de ser alcançado. Na próxima rodada, vai receber em Governador Valadares o Uberaba, no domingo.

Galo começa na pressão

Sem o seu artilheiro e astro da equipe, Diego Tardelli, e também desfalcado de Leandro e Corrêa, o jeito era apostar na boa fase de Obina e na experiência de Júnior e Ricardinho. O trio, acompanhado por Renan Oliveira, criou as melhores jogadas, e o time bem que dominou os primeiros 45 minutos, com boa movimentação do meio-campo e do ataque. Não teria sido nada injusto sair com a vantagem no placar. Mas a má conclusão e a boa marcação do Democrata contribuíram para que o primeiro tempo ficasse no 0 a 0 e a torcida ensaiasse algumas vaias após o apito final do árbitro André Luiz Martins Dias Lopes.

O início parecia promissor, tanto que empolgou a Massa. E foi pela esquerda do ataque que o time imprensou o Democrata. Aos quatro minutos, Obina deu dois dribles seguidos no zagueiro Lúcio e centrou, da linha de fundo, na medida para Renan Oliveira. Mas o camisa 10 do Galo bateu fraco, para fora.

No minuto seguinte, Obina chegou atrasado para cabecear centro de Muriqui pela direita. Poderia também ter sido o primeiro gol do Galo, que insistiu nas bolas aéreas. Como a de Ricardinho cobrando falta, aos seis, em jogada ensaiada para Cáceres, neutralizada pela zaga do Democrata.

O time tocava rápido a bola no meio-campo. Ricardinho bancava o maestro e virava as jogadas, principalmente para a esquerda. Obina parecia inspirado. Aos nove, ele passou entre Alex Santos e Lúcio e só não arrancou mais em direção ao gol porque o lateral-direito o puxou e recebeu cartão amarelo pela falta.

Democrata respira

Bem fechadinho, o Democrata só conseguiu respirar um pouco a partir dos 12, quando começou a equilibrar melhor o meio-campo e fazer suas primeiras jogadas de ataque. Também pela esquerda. Beto centrou, e a bola foi venenosa para Aranha espalmar para a lateral. Ely Thadeu aparecia mais. Pouco depois, aos 16, de novo pela esquerda, Beto centrou para Eraldo lamentar a sua chance perdida por chegar atrasado no lance.

A defesa do Galo dava poucas chances para o contra-ataque do time de Governador Valadares. Cáceres e Jairo Campos dominavam a maioria das jogadas, e Jonílson protegia bem a zaga. Mas o volante arrumou tempo também para ir à frente surpreender, como aos 20 minutos, quando arrancou pela esquerda e bateu de fora da área, à direita de Vilar, com perigo. Obina repetiu a dose por ali mesmo, aos 25, mas arriscou fraco, e Vilar só encaixou.

Renan Oliveira brilha, depois sai

A partida ficou mais disputada. Ricardinho acabou sentindo a costela após dar um carrinho por trás em Beto. O meia conseguiu voltar, e viu Renan Oliveira fazer a jogada mais bonita do primeiro tempo, ao rolar de calcanhar para Júnior, que vinha de trás e isolou, na entrada da meia-lua, aquele que seria o final dos sonhos no primeiro tempo.

Com Carlos Alberto no lugar do apático Fabiano, Vanderlei Luxemburgo mandou o Galo mais para o ataque a segunda etapa. Com isso, o jogo ficou mais equiibrado. O Democrata assustou em jogada aérea aos quatro, quando Aranha e Jairo Campos se enrolaram após cruzamento de Beto, mas Obina afastou o perigo.

Mas foi um lance aos 13 minutos que deu início à mudança do Galo na partida. Começou com Muriqui, que cruzou para Obina. A bola sobrou para Renan Oliveira, que de frente para o gol, bateu em cima de Lúcio, que, como se fosse um zagueiro de futebol de botão, salvou o gol.

Marques entra, e Júnior marca

A torcida se irritou, e, coincidência ou não, Luxemburgo mexeu em seguida no time. Renan Oliveira saiu para a entrada de Marques, e logo depois Ricardinho deu vez a Evandro. Aos 20 minutos, o xodó da torcida iniciou a jogada do gol atleticano. Ele arrancou pela esquerda e fez o cruzamento. O goleiro Vilar contribuiu ao soltar a bola, que Muriqui tocou para Júnior. O lateral cortou Matheus e bateu de canhota, à esquerda do arqueiro, sem defesa: 1 a 0.

O Democrata teve até sua chance de empate nos pés de Ely Thadeu, após saída errada de Aranha. O técnico Moacir Júnior ainda mexeu no time, trocando Dudu Araxá. Marcel e Ely Thadeu por João Victor, Sandro Manoel e Rafael Lopes. O time ensaiou uma reação que não aconteceu. Melhor para a Massa.

veja também