MENU

'Correria e um trânsito muito grande', diz ex-são-paulino no Japão

'Correria e um trânsito muito grande', diz ex-são-paulino no Japão

Atualizado: Sexta-feira, 11 Março de 2011 as 10:35

Devido aos problemas nas linhas telefônicas do Japão por conta do terremoto de 8.9 graus na escala Ritcher que atingiu a costa noroeste do país, vários jogadores brasileiros usam o Twitter para passar notícias aos familiares. Um deles é o meia Jorge Wagner, ex-São Paulo e atualmente no Kashiwa Reysol.

Através do microblog, ele revelou que estava em uma estação de trem no momento dos tremores que causaram tsunamis e muita destruição no país asiático.

- Estávamos indo pra Osaka (Nota: partida contra o Gamba Osaka pelo Campeonato Japonês que acabou adiada assim como toda a rodada deste final de semana). Pegamos um terremoto muito forte. Está uma correria e um trânsito muito grande aqui - escreveu Jorge Wagner, revelando que está parado em um trem na estação de Shin-Yokohama.     Também pelo Twitter, a esposa do jogador disse que está tudo bem apesar do terremoto, considerado o sétimo maior da história em todo o planeta.

- Foi um susto enorme. Não causou muitos estragos, graças a Deus. Mas estamos bem. Em alerta ainda porque ainda sentimos pequenos tremores. Rezem por todos aqui - escreveu Kaline.

O site oficial do Vegalta Sendai, clube da cidade de Sendai - uma das que mais sofreram com as ondas gigantes e com os tremores, está fora do ar. A equipe conta com dois brasileiros: Marquinhos, ex-Coritiba, e Max Carrasco, ex-Ipatinga.         O terremoto ocorreu por volta das 15 horas locais e durou aproximadamante dois minutos, provocando ondas que chegaram a seis metros. O epicentro do abalo foi a cerca de 400 quilômetros de Tóquio e até o momento as informações preliminares não são precisas quanto à extensão dos estragos provocados e números de mortos e feridos.

Segundo especialistas locais, são esperadas nas próximas horas novas tsunamis em decorrência do tremor, já considerado como um dos mais fortes ocorridos no Japão. As autoridades projetam que regiões da Indonésia, Filipinas, Rússia a Havaí também podem ser atingidas. O Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico teme que as ondas possam chegar à costa do Pacífico, englobando da Austrália, Nova Zelândia, Fiji, Samoa, Polinésia, arquipélagos menores da Ásia e da Oceania e até países da América do Sul e do Norte.      

veja também