MENU

Cruzeiro bate Goiás e sobe para 2º lugar

Cruzeiro bate Goiás e sobe para 2º lugar

Atualizado: Sexta-feira, 8 Outubro de 2010 as 7:22

Mudança no G-3 do Campeonato Brasileiro. Na vice-liderança, sai o Corinthians, entra o Cruzeiro. A vitória da Raposa por 1 a 0 sobre o Goiás, no Serra Dourada, na noite desta quinta-feira, colocou ainda mais fogo na disputa pelo título da competição. E também manteve o time Esmeraldino, penúltimo colocado, em situação difícil na briga para evitar o rebaixamento.

Com a vitória, a Raposa chegou a 51 pontos, um a menos que o líder Fluminense. E as duas equipes se enfrentam no próximo domingo, no Parque do Sabiá, às 16h (de Brasília), em uma minidecisão do Brasileirão. Curiosamente, o duelo entre as duas equipes no segundo turno do campeonato em 2009 também foi marcante, mas para o Tricolor carioca em sua arrancada para não cair à Segunda Divisão. Perdia por 2 a 0, no Mineirão, e saiu de campo com a vitória por 3 a 2. O técnico do Flu à época? Cuca, que agora leva o Cruzeiro em outra arrancada: rumo ao sonho do título.

Vice-lanterna, com 25 pontos, a quatro do Avaí, primeiro time fora do Z-4, o Goiás segue agonizando. No próximo domingo, novamente no Serra Dourada, às 16h, enfrenta o Vitória, 15º colocado, com 31. A equipe baiana, que terá a estreia do técnico Antônio Lopes, vem se aproximando perigosamente dos últimos quatro colocados. Um confronto em que os três pontos são um torneio à parte.

Nervosismo e pouca inspiração

Enquanto o Goiás entrou em campo pressionado pela vitória do Atlético-MG sobre o Corinthians, o Cruzeiro foi para o jogo impulsionado pelas derrotas de Fluminense (para o Santos) e do próprio Timão. Apesar da necessidade da vitória, o técnico Jorginho escalou o time no 3-6-1, demonstrando preocupação com o meio-campo celeste formado pelo trio de volantes "modernos" Fabrício, Henrique e Marquinhos Paraná, além do habilidoso meia argentino Montillo. E se o comandante esmeraldino não pode contar com o atacante Felipe, vetado ainda nos vestiários por conta de uma lesão muscular, Cuca não pôde escalar o zagueiro Cláudio Caçapa, recuperando-se de uma contusão na perna esquerda.

E em campo o futebol não foi dos melhores. De nenhuma das partes. Tanto que o gol do Cruzeiro foi marcado por um jogador do Goiás, tamanha a falta de pontaria dos atacantes celestes. Jonílson usou a cabeça, mas contra o próprio patrimônio. E o Esmeraldino mostrou por que é um dos sérios candidatos ao rebaixamento. Inoperante no ataque, o time goiano pecou muito na marcação e mostrou enorme falta de criatividade. Para piorar, após o apito final, seus torcedores brigaram nas arquibancadas, de onde ecoavam gritos de protesto contra a péssima campaha da equipe.

Poucas jogadas de perigo agitaram o primeiro tempo. Em uma delas, o atacante cruzeirense Robert invadiu a grande área sozinho e tentou driblar o goleiro Harlei, mas o camisa 1 salvou os donos da casa, aos 39 minutos. Três minutos depois, a melhor chance da etapa inicial. Thiago Ribeiro quase abriu o placar ao mandar uma bomba no travessão, após cobrança de escanteio de Montillo.

Gol contra e vice-liderança

O técnico Cuca parece que utilizou o intervalo para dar um choque nos jogadores, e a equipe foi para cima com mais qualidade. Logo aos quatro minutos, Montillo quase arrancou o grito de gol da torcida cruzeirense ao chutar uma bola rente a trave. E se o ataque celeste era ineficiente, o Goiás resolveu dar uma ajuda. Montillo fez boa jogada, cruzou da direita, e o volante Jonílson, de peixinho, marcou um golaço de cabeça. Só que foi contra.

Com a desvantagem no placar, Jorginho resolveu abrir a equipe lançando Wellington Saci e Camacho nas vagas de Júnior e Marcelo Costa. Com isso, o Cruzeiro passou a jogar nos contra-ataques. Aos 22, Thiago Ribeiro perdeu a chance de matar o jogo. Ernando bobeou e perdeu a bola para o atacante, que chutou por cima, de frente para o gol.

A noite não era mesmo dos atacantes cruzeirenses. Aos 34, foi a vez de Robert desperdiçar chance incrível ao chutar para fora, livre, na pequena área. Nos dez minutos finais, os donos da casa esboçaram uma reação, mas sem sucesso. O time goiano deixou o campo xingado pela própria torcida, que brigou nas arquibancadas. Já os jogadores da Raposa foram para o vestiário saudados pelos torcedores celestes que compareceram e fizeram a festa no Serra Dourada.

veja também