MENU

Cruzeiro encara Vélez Sarsfield em jogo decisivo na Libertadores

Cruzeiro encara Vélez Sarsfield em jogo decisivo na Libertadores

Atualizado: Quarta-feira, 31 Março de 2010 as 12

Conhecido como "La Bestia Negra" no Chile, por ter a fama de carrasco das equipes chilenas, o Cruzeiro, por outro lado, também tem o seu algoz. Trata-se do Vélez Sarsfield, adversário desta quarta-feira, às 19h30m (de Brasília), no Mineirão, pela quinta rodada do Grupo 7 da Taça Libertadores. O time argentino lidera a chave, com dez pontos. A Raposa soma sete pontos e ocupa a segunda colocação.

É fácil entender por que o Vélez pode ser apontado como "La Bestia Negra" do Cruzeiro. A começar pelo retrospecto. Em nove confrontos, cinco vitórias do time de Buenos Aires, contra três da equipe celeste. Vale registrar que duas das três vitórias cruzeirenses foram em amistosos. Nos confrontos decisivos, melhor para o Vélez.

Em 1994, os dois times ficaram no mesmo grupo da Libertadores e se enfrentaram duas vezes. O Cruzeiro, que então revelava o garoto Ronaldo, futuro Fenômeno, perdeu por 2 a 0 na Argentina. No Mineirão, Ronaldo fez um gol, mas o jogo terminou 1 a 1. Líder da chave, o Vélez seria, inclusive, o campeão da Libertadores naquele ano.

O Cruzeiro teve a chance de se vingar em 1996, quando se deparou com o Vélez na final da Supercopa. Mas a Raposa não obteve êxito diante do rival, então capitaneado pelo goleiro-artilheiro Chilavert. O time argentino venceu em Belo Horizonte (1 a 0), também levou a melhor em Buenos Aires (2 a 0) e ficou com o título de forma inquestionável.

Já em 2005, um novo embate em mata-mata, desta vez pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O Vélez, mais uma vez, mostrou ser "La Bestia Negra" do Cruzeiro, vencendo em casa (2 a 0) e classificando-se no Mineirão, mesmo com uma derrota por 2 a 1.

Agora, o Vélez lidera o Grupo 7 da Libertadores de 2010. Uma das vitórias do time argentino foi justamente sobre o Cruzeiro, por 2 a 0, no dia 10 de fevereiro, em Buenos Aires. Para seguir sonhando com a liderança da chave ou mesmo com uma classificação tranqüila entre os seis melhores segundos colocados, a Raposa precisa da vitória nesta quarta-feira.

- Em Libertadores, todo jogo é difícil, mas contra argentino é como um clássico, tem rivalidade, é diferente. A rivalidade entre Brasil e Argentina é levada para dentro de campo – disse o atacante Kléber.

Se vencer o Vélez, o Cruzeiro assume a liderança da chave. Nesse caso, a definição de posições ficaria para a última rodada, no dia 15 de abril, quando o Cruzeiro visitará o Colo Colo, enquanto o Vélez vai receber o lanterna Deportivo Italia.

Por: Marcelo Machado

veja também