MENU

Cruzeiro reage e consegue empate com o Avaí

Cruzeiro reage e consegue empate com o Avaí

Atualizado: Segunda-feira, 17 Maio de 2010 as 7:14

O Cruzeiro demonstrou poder de reação neste domingo. A equipe de Adilson Batista perdia por 2 a 0 para o Avaí no primeiro tempo do jogo disputado no Mineirão, mas conseguiu chegar ao empate por 2 a 2 na etapa complementar, com gols do atacante Wellington Paulista.

Cruzeiro e Avaí somam 4 pontos cada no Campeonato Brasileiro, já que haviam vencido na primeira rodada. O time mineiro, no entanto, está mais preocupado com a Copa Libertadores da América: precisa reverter mais uma desvantagem de dois gols, desta vez contra o São Paulo, na quarta-feira.

Pelo Brasileirão, o Cruzeiro enfrentará o Guarani em Campinas no próximo domingo. Já o Avaí receberá o Vasco na Ressacada, no mesmo dia.

O jogo

O Cruzeiro entrou em campo como de costume: de azul e com muitos titulares. A diretoria desistiu adiar a estreia do uniforme amarelo, e o técnico Adilson Batista preferiu esquecer momentaneamente o São Paulo. Apenas o goleiro Fábio, o lateral direito Jonathan e o atacante Kleber, machucados, deixaram a equipe titular.

Com quase toda a sua formação principal, o Cruzeiro partiu para cima do Avaí. Assustou logo aos 4 minutos, quando Thiago Ribeiro enfrentou a marcação adversária e bateu cruzado. Wellington Paulista desviou de cabeça e quase abriu o placar. Foi o suficiente para os torcedores se animarem nas arquibancadas do Mineirão.

Mas um jogador do Cruzeiro exagerou bastante no ímpeto. Aos 18 minutos, Leonardo Silva deu um carrinho violento em Davi. O árbitro Leonardo Gaciba não hesitou: tirou o cartão vermelho do bolso e mostrou para o defensor, que deixou o campo desolado. Sua equipe também demonstrou abatimento.

O Avaí tentou aproveitar os espaços que ganhou. E conseguiu. Aos 25, Pará recebeu a bola na ponta esquerda, cortou a marcação com categoria dentro da área e bateu cruzado para abrir o placar. O gol animou ainda mais a equipe catarinense.

Vinte minutos depois, o Avaí conseguiu ampliar. Roberto invadiu a área pela direita e deu um toque por cobertura para encobrir o goleiro Rafael. Com a vantagem, o jogador desceu para o vestiário satisfeito: ''Vamos aproveitar que eles estão com um homem a menos, mas sem abaixar a guarda. O nosso ponto forte deve ser a velocidade''.

Para contrariar o discurso de Roberto e fazer o Cruzeiro reagir, o técnico Adilson Batista colocou Thiago Heleno no lugar de Diego Renan antes do segundo tempo. Já o Avaí voltou com Gabriel na vaga de Emerson Nunes. Pará foi substituído por Hegon pouco depois, porque se lesionou.

Os donos da casa melhoraram após as alterações. Aos 8 minutos, Thiago Ribeiro fez boa jogada pela direita e levantou a bola na área. O goleiro Zé Carlos não alcançou, e Wellington Paulista cabeceou para descontar.

Não demorou muito para o Cruzeiro anotar o seu segundo gol no jogo. Aos 14, Gilberto foi derrubado por Zé Carlos dentro da área. Pênalti. Para piorar a situação do Avaí, o goleiro recebeu o segundo cartão amarelo e o vermelho. Renan entrou no lugar de Davi para tentar defender a cobrança de Wellington Paulista, que conferiu.

Com o mesmo número de gols e de jogadores que o Avaí, o Cruzeiro retomou a pressão do começo da partida. Ganhou os reforços de Guerrón e Fernandinho, substitutos de Elicarlos e Gilberto, teve gol anulado e acertou a bola na trave, mas não chegou à virada.

veja também