MENU

Cruzeiro vence, mas fica longe do título

Cruzeiro vence, mas fica longe do título

Atualizado: Domingo, 28 Novembro de 2010 as 10:18

A justiça do futebol falhou neste domingo no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. O Cruzeiro fez a parte dele. Ganhou fora de casa de virada por 2 a 1, mas as vitórias de Fluminense e Corinthians o mantiveram longe do título brasileiro. Por outro lado, o Flamengo perdeu, mas viu o risco de queda para a Série B desaparecer. Mesmo colecionando atuações ruins, o time carioca foi beneficiado pelos resultados de Atlético-GO e Vitória, e está livre do risco de rebaixamento. O Rubro-Negro está em 15º lugar e tem 43 pontos, dois a mais do que Atlético-GO e Vitória, que empataram com São Paulo e Inter, respectivamente. Porém, os Rubro-Negros de Goiás e da Bahia se enfrentam na última rodada e apenas um poderá superar o Fla. Neste domingo, depois de abrir o placar com Diego Maurício, o time repetiu os erros das 36 rodadas anteriores e tomou a virada em gols de Roger e Thiago Ribeiro.

Mais uma vez provando sua eficiência como visitante, o Cruzeiro chega a 66 pontos, em terceiro lugar. E na última rodada precisa vencer o Palmeiras, em Minas, e torcer por tropeços de Fluminense (68) e Corinthians (67) contra os rebaixados Guarani e Goiás, respectivamente, para levantar a taça.

Clique e confira resultados e a classificação do Campeonato Brasileiro

Fla abre placar, mas não sustenta vantagem

Ronaldo Angelim mostra a sola em disputa com

Wellington Paulista (Foto: Mauricio Val / VIPCOMM) A 120 km do epicentro da guerra urbana do Rio de Janeiro, o Flamengo encontrou em Volta Redonda o aconchego que precisava da torcida. Com o clima de tensão restrito à capital, o time entrou em campo ouvindo o hino no alto-falante do estádio e aplausos da torcida.

A partida começou com dez minutos de atraso. Depois de chutes de longe e para longe, o Flamengo abriu o placar. Diogo deu ótimo passe para Diego Maurício na ponta direita. O atacante entrou livre, viu a saída de Fábio e tocou com categoria, aos nove minutos.

O gol tornou o clima em campo ainda mais quente. Roger levou um encontrão de Renato e se chocou com a grade à beira do campo. No lance seguinte, Marquinhos Paraná revidou com um pisão no tornozelo do rubro-negro e por pouco não foi expulso. Levou amarelo.

A partida parecia controlada pelo Fla. Mas aos 15, Welinton cometeu falta em Montillo na entrada da área. Roger cobrou. A bola desviou em Ronaldo Angelim e enganou Marcelo Lomba.

O nervosismo trocou de lado. A torcida do Fla passou a pedir raça antes dos 30 minutos, e o time rubro-negro repetiu as fragilidades da campanha: meio-campo lento, sem criatividade e pouco combativo. Sorte que Montillo não estava em tarde inspirada. Thiago Ribeiro aproveitou bola mal rebatida pela zaga e por pouco não virou. Logo depois, Henrique deu uma caneta em Diogo e chutou cruzado. Lomba espalmou.

Cruzeiro mostra competência na etapa final

Quando conseguiu se livrar da marcação, Montillo

cruzou para T. Ribeiro marcar (Maurício Val/VIPCOMM) Apesar dos repetidos gritos por Petkovic, o gringo iniciou o segundo tempo no banco. E o time carioca iniciou a etapa final ameaçando a Raposa. Aos dois minutos, Willians foi empurrado na área em lance semelhante ao que provocou toda a polêmica com Ronaldo também em jogo do time mineiro. O juiz Leandro Vuaden mandou seguir. Logo depois, aos quatro, Diogo girou na área em cima de Léo e caiu, reclamando de um agarrão. O gaúcho não considerou que houve penalidade, deu cartão para o camisa 43 e passou a ser perseguido por torcedores rubro-negros.

A atuação apática do Cruzeiro só foi interrompida aos nove, quando Wellington Paulista finalizou de bicicleta, e Marcelo Lomba saltou para espalmar.

As vitórias de Fluminense e Corinthians praticamente sepultavam as chances de o Cruzeiro ser campeão. E o time acusou o golpe. O Flamengo passou a dominar e por pouco Diego Maurício não virou aos 19.

Mas a diferença entre os dois times ficou evidente aos 23: a eficiência no ataque. Em um dos únicos lances em que conseguiu se livrar da marcação, Montillo foi à linha de fundo e cruzou na segunda trave. Thiago Ribeiro ganhou de Welinton e cabeceou para o chão: 2 a 1.

Pet, que entrou antes do segundo gol cruzeirense, não acertava um passe, Marquinhos idem. Luxemburgo tirou o segundo e colocou Val Baiano. A torcida do Cruzeiro debochou e passou a gritar “segunda divisão”. Montillo fez fila pouco depois, mas Wellington Paulista desperdiçou.

No fim, pelo rádio, o Cruzeiro soube que o esforço foi quase em vão. Já o Flamengo, mesmo derrotado, enfim coloca ponto final no ano de 2010.     por Eduardo Peixoto

veja também