MENU

'Cubana' da seleção, caloura Juciely celebra a melhor fase da carreira

'Cubana' da seleção, caloura Juciely celebra a melhor fase da carreira

Atualizado: Sexta-feira, 27 Maio de 2011 as 9:54

A "baixinha" Juciely, à direita, se estica ao lado de Fabiana (Foto: Helena Rebello/Globoesporte.com)

  Mireya Luis deu muito trabalho ao Brasil nos anos 90. A ex-capitã da seleção cubana provocava as rivais e, com saltos de mais de um metro de altura, transformava-se em uma gigante no ataque, apesar de medir apenas 1,74m. A ponteira era a maior referência de uma geração que parecia ter molas nos pés. Para nossa sorte, a carrasca verde e amarela fez escola também longe da ilha de Fidel Castro. Única caloura da lista de Zé Roberto Guimarães para a disputa da Copa Pan-Americana, Juciely tem dez centímetros a mais que Mireya, mas é considerada ‘baixinha’ para uma meio de rede. A limitação física, entretanto, se torna mínima diante da impulsão da jogadora do Rio de Janeiro.

Juciely não sabe ao certo que altura atinge quando ataca ou bloqueia. Aliada à capacidade de saltar alto, a central ainda conta com a velocidade. A característica contribuiu bastante para que ela se destacasse no bloqueio, sendo eleita a melhor no fundamento na última Superliga, superando inclusive Adenízia, Thaisa e Fabiana, as colegas de posição na seleção.

- A altura é uma realidade de que não é possível fugir, e por isso treino mais. A altura faz sim diferença, e por isso trabalho todos os lados para conseguir chegar no parâmetro delas - disse.

 Autora do ponto do sétimo titulo nacional do Rio de Janeiro (veja no vídeo ao lado), Juciely comemora sua melhor fase como profissional. Na última temporada, a atleta chegou a ser convocada para defender o Brasil, mas, com um estiramento no abdômen, não pôde se apresentar. Desde então, além do título sob o comando de Bernardinho, a meio de rede também comemorou a conquista do Campeonato Mundial Militar, na Carolina do Norte, nos EUA.

- É um momento muito importante na minha carreira. Encaro essa convocação como uma evolução ainda maior. É um crescimento estar entre tantas centrais de referência no voleibol. Será uma disputa complicada, mas vou mostrar o meu trabalho, o que sei fazer, de forma natural.

Juciely faz musculação no Centro de Treinamento de Saquarema (Foto: Alexandre Arruda / CBV)

  O que Juciely ainda não sabe é como será sua agenda este ano. A jogadora está convocada para o Mundial Militar, que será disputado no Rio de Janeiro de 16 a 24 de julho. Entre os seis compromissos da seleção principal no ano, a Copa Pan-Americana, que será realizada no México, termina apenas no dia 9 do mesmo mês e, entre os dias 14 e 16, a equipe disputará um torneio amistoso em território nacional.

- Minha prioridade é a seleção brasileira, mas ainda não sei como será solucionado este problema. Estou inscrita lá, assim como a Fernanda (Garay, ponteira) e não tem como convocar outra pessoa para o lugar. Vamos tentar resolver da melhor forma possível para todos os lados.        

veja também