MENU

Cubana estraga a festa e Fabiana Murer encerra ano vitorioso com prata

Cubana estraga a festa e Fabiana Murer encerra ano vitorioso com prata

Atualizado: Terça-feira, 25 Outubro de 2011 as 8:28

Antes dos tão sonhados dias de descanso, Fabiana Murer precisava dar um pulinho em Guadalajara para buscar mais um título. O que parecia simples para a atual campeã mundial do salto com vara, no entanto, virou missão impossível. A cubana Yarisley Silva estragou a festa de encerramento perfeita para o ano mais importante da carreira da brasileira. Fabiana se despediu do México e de 2011 com uma amarga medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos.

- Eu gostei da competição. Achava que tinha que saltar por volta de 4,70m para ganhar a competição. Foi o que eu fiz, o que achava que poderia fazer nessa época do ano. O meu pico de forma física foi para o Mundial, há dois meses atrás. É difícil manter o auge da forma física. Mas me mantive treinando e saltei bem. E a cubana saltou muito bem, bateu o recorde cubano e mereceu essa medalha - disse a brasileira.

  Fabiana não conseguiu passar dos 4,70 em Guadalajara (Foto: Divulgação/Jefferson Bernardes/Vipcomm)     Yarisley conseguiu saltar 4,75m, e Fabiana foi vencida pelo sarrafo. Não passou dos 4,70m e viu a rival festejar o ouro. A brasileira precisava se preocupar apenas com a cubana em Guadalajara para garantir o bicampeonato no Pan. Sem adversárias de peso, a brasileira demorou para realmente entrar na prova. Duas horas e meia depois do anúncio das atletas, a campeã mundial, enfim, começou a saltar.

- É lógico que é cansativo, é desgastante ficar esperando e depois começar a aquecer tudo novamente. A grande dificuldade que eu tive também foi a mudança do aquecimento para a competição. No aquecimento, estava muito forte o vento e, depois, diminuiu um pouco e demorei para acertar o poste. Eu acabei cansando para o final da prova - explicou Fabiana.

No sarrafo a 4,50m, Fabiana entrou em ação. E, logo no início, um susto. A brasileira errou as duas primeiras tentativas. Mas, na última chance, passou com folga. A cubana, que preferiu começar a saltar desde 4,30m, acertou de primeira os 4,50m. A mesma cena se repetiu nos 4,60m. Yarisley avançou na primeira tentiva, enquanto Fabiana, que já não conseguia mais esconder o nervosismo, passou apenas em sua última chance. Em seguida, as duas passaram pelos 4,70m de primeira. A vitória da cubana veio na marca de 4,75m, que acertou de novo na primeira tentativa. Fabiana errou as três.

- Talvez se eu tivesse feito menos saltos no começo estaria mais descansada para o final da competição, poderia ter saltado mais alto - lamentou.

Embalada pelo título da Diamond League, em 2010, Fabiana Murer entrou em 2011 determinada a fazer deste ano o melhor de sua carreira. A brasileira, que por muitos anos viveu à sombra da amiga Yelena Isinbayeva, enfim, teve seu lugar ao sol. No último dia do mês de agosto, em Daegu, conseguiu uma façanha que parecia impossível: superar a musa russa e conquistar a primeira medalha de ouro mundial de uma brasileira no atletismo.

- O que importava no ano para mim era o Mundial, que fui campeã. Eu me preparei para o Mundial. É lógico que vim para o Pan para buscar a medalha de ouro. Mas sabia que seria difícil, uma competição é diferente da outra, depende de como cada uma está no dia. Hoje foi o dia dela.            

veja também