MENU

D. Carvalho: 'Galo quer três vitórias seguidas, e eu, três partidas seguidas'

D. Carvalho: 'Galo quer três vitórias seguidas, e eu, três partidas seguidas'

Atualizado: Sexta-feira, 15 Outubro de 2010 as 7:37

Daniel Carvalho quer deixar a má sorte definitivamente para trás. Desde que chegou ao Atlético-MG, em junho deste ano, só fez dez partidas oficiais pelo clube. Logo na estreia, levou cartão vermelho. Depois foram duas contusões no joelho e uma na mão.

Recuperado, o atacante espera retornar na partida contra o Avaí, domingo, às 16h (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. Daniel diz levar a situação difícil numa boa e que as contusões são normais para um jogador profissional.

- Eu levo na esportiva, na brincadeira. Foi como eu falei com o pessoal, o Galo procura três vitórias seguidas, e eu procuro três partidas seguidas. A gente se descontrai ali no vestiário porque sabe que faz parte. A gente não vai pro jogo com a intenção de ser expulso ou de se machucar. Mas acontece, é acidente de trabalho e, com certeza, se a gente ficar abatido, ficar triste, é pior ainda. Então, eu tento levar na esportiva, tento fazer a minha parte, que é o tratamento e, quando chego em casa, tento esquecer e curtir a vida, porque isso aí é um momento que todo jogador passa, por lesões, e comigo não é diferente - afirmou Daniel Carvalho.

O atacante treinou normalmente com os demais jogadores e mostrou entusiasmo com mais um retorno ao time:

- Em princípio, se eu não cair em cima do braço e não fizer nenhum esforço em cima da mão, vou jogar normalmente. Até porque estou treinando com o resto do grupo. Ainda sinto um desconforto na mão, a lesão foi recente. Mas o importante é que estou a fim, que estou querendo jogar e superar essa dor. Eu jogo com os pés, não com a mão, acredito que domingo vou jogar sim.

O Avaí, próximo adversário do Galo, deve ser um osso duro de roer. Daniel Carvalho afirma que as partidas contra os times da parte de baixo da tabela do Brasileirão são as mais difíceis. Enquanto o Atlético-MG é o 18º colocado, com 28 pontos, o time catarinense é o 16º, com 30.

- Esses jogos são os mais difíceis, até porque quando o time está lá em cima na tabela, ele joga pra cima, joga vibrando, buscando a vitória pra continuar brigando pelo título. E, às vezes, quando está no meio da tabela pra trás, jogando fora de casa, recua bastante, tentando não tomar gol e num contra-ataque ou outro conseguir fazer. Então, a situação do Avaí vai fazer com que o time jogue recuado. Eles não vão fazer como o Corinthians fez. A gente tem que ter paciência e com calma procurar o gol. Vai ser importante o torcedor colaborar, porque ele vai estar tão ansioso quanto a gente - declarou.

veja também