MENU

Dagoberto pede atitude: 'É hora de falar pouco e encarar a realidade'

Dagoberto pede atitude: 'É hora de falar pouco e encarar a realidade'

Atualizado: Quinta-feira, 19 Maio de 2011 as 4:47

Um dos jogadores com maior tempo de casa no São Paulo (chegou ao clube em 2007), o atacante Dagoberto reconheceu que a crise chegou ao clube. As eliminações no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil geraram protestos da torcida na porta do CT da Barra Funda e complicaram a situação do técnico Paulo César Carpegiani, que quase foi demitido. Para o camisa 25, só há uma solução para reverter esse processo: falar pouco e trabalhar muito.

Dagoberto acredita que o time vai brigar pelo título do Brasileirão (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

  - Temos de parar de dar desculpas e encarar a realidade, que é de cobrança. Tem de se calar para resolver a situação. Falar não vai resolver nada. Temos de passar por tudo isso com união, senão os boatos aumentam, a crise aumenta. Temos de ser homens, porque nos momentos bons é fácil. A torcida não merece o que está acontecendo – afirmou o jogador, em entrevista coletiva nesta quinta-feira, no CT.

Dagoberto disse que a torcida tem todo o direito de protestar, mas passou do limite ao chutar o carro do lateral Jean . O atacante, aliás, foi um dos poucos poupados pelos membros de uma torcida organizada, durante a derrota para o Avaí, por 3 a 1, na semana passada, em Florianópolis.

  - Sofremos duas eliminações em que tínhamos objetivos traçados. Ninguém vai lembrar que fomos bem no primeiro tempo contra o Santos. Vão lembrar que eles foram campeões e pronto. Vão lembrar do campeão da Copa do Brasil e não que perdemos para o Avaí. Mas se eles passam algumas situações, aí perde a razão - disse Dagol.

- Mas eles (torcedores) tomam chuva, frio, pagam ingresso, então vai de nós revertermos essa situação. Uma conquista lá na frente vai ter um sabor especial – emendou.

O atacante, inclusive, disse que o time tem forças para reagir e que vai brigar pelo título do Campeonato Brasileiro.

- Hoje é fácil analisar com o momento. Hoje falam do Santos, do Cruzeiro, do Inter, do Grêmio. Mas o São Paulo é forte e vai chegar bem lá na frente – ressaltou.          

veja também