MENU

D'Ale, 30 anos, tem Índio e Rivaldo como modelos de resistência

D'Ale, 30 anos, tem Índio e Rivaldo como modelos de resistência

Atualizado: Sexta-feira, 14 Outubro de 2011 as 10:09

D'Alessandro tem sete títulos pelo Inter

(Foto: Alexandre Alliatti/Globoesporte.com)

  D’Alessandro libera um sorriso de canto de boca e responde ao jornalista quando perguntado sobre seu futuro no Inter: “Não estou velho, cara”. Aos 30 anos, o argentino vive sua quarta temporada como protagonista colorado. E acredita que ainda tem muita estrada a percorrer.

O contrato dele com o clube gaúcho vai até 2015. Ele acredita que é possível cumprir a parte final de um vínculo que já rendeu títulos de Libertadores, Sul-Americana, Recopa, Copa Suruga e Gauchão (três vezes). D’Ale se sente bem.

- Fisicamente, mentalmente, psicologicamente, estando bem, 100%, minha carreira vai continuar, seja aqui ou em outro clube. Meu presente é aqui. Tenho contrato até 2015. Penso que vou cumprir esse contrato. Nunca pensei em jogar no Brasil. Não imaginava ficar tanto tempo num clube. O Inter é o clube em que fiquei mais tempo entre aqueles onde joguei (excetuado o River Plate). Tenho mais três anos e meio de contrato. Meu pensamento é esse – disse o jogador.

D’Ale tem dois exemplos de persistência, de continuidade. Tem duas provas de que a idade está longe de ser um problema.

- Estou com 30 anos. Se o Índio (com 36) continua do jeito que continua, se vimos como está o Rivaldo, magrinho, fino, temos que continuar trabalhando. Quantos anos tem o Rivaldo? 39? O Rivaldo tem nove anos a mais do que eu... O mais importante é estar bem fisicamente.

D’Alessandro vive uma temporada de regularidade. Não teve nem a explosão de 2008, com grandes atuações na reta final do Brasileirão e na Sul-Americana, nem a queda de 2009, até com afastamento, nem o título da Libertadores de 2010. Mas manteve uma boa média de rendimento.

- O mais difícil é a regularidade. Não é fácil, porque no Brasil o calendário não é feito para o jogador. Joga domingo, quarta, domingo. Lembro que jogamos sábado e terça esse ano. Não tem tempo para recuperar. Mas tem que jogar. Esse ano, fomos à Alemanha num domingo, chegamos segunda, jogamos terça, jogamos quarta e chegamos domingo aqui – comentou.

O Inter volta a campo domingo, no Beira-Rio, contra o Avaí. D’Alessandro estará em campo.

veja também