MENU

D'Ale se aproxima do fim do quarto ano de Inter

D'Ale se aproxima do fim do quarto ano de Inter

Atualizado: Sexta-feira, 25 Novembro de 2011 as 10:40

D'Ale ganhou os titulos gaúcho e da Recopa este

ano (Foto: Marcos Nagelstein/Vipcomm) Andrés D’Alessandro já viveu três vezes a experiência de encerrar um Campeonato Brasileiro, olhar para trás e pesar os prós e contras de uma temporada como jogador do Inter. E faltam duas rodadas para ele fazer a medição mais uma vez. A dez dias do fim de sua quarta temporada no Beira-Rio, o argentino carrega alegrias e tristezas na lembrança. E busca a vaga na Libertadores como prêmio de consolação.

O Inter disputou cinco campeonatos em 2011. Ganhou a Recopa e o Campeonato Gaúcho. Mas ficou sem os títulos da Libertadores, do Brasileirão e do Torneio de Munique. O que mais machuca D’Alessandro é a queda nas oitavas de final da principal disputa do continente, para o Peñarol, e a impossibilidade de ir mais longe no Nacional.

- Fica o gostinho amargo de ter saído muito cedo. O time dava para muito mais. A palavra não é frustração, mas ficar fora da Libertadores nas oitavas, para um time grande como o Inter, campeão do ano anterior, não foi fácil assimilar. O Brasileiro era nosso objetivo. Sentimos que nesse Brasileiro, ao contrário de outros, em que ganhamos mais em casa, deixamos passar muitas chances dentro de casa, em jogos importantes. A gente lamenta. Mas o futebol é assim. Não tem lógica. Contra Santos, Coritiba e Corinthians, jogamos melhor, mas não conseguimos ganhar. Teríamos mais seis pontos e brigaríamos pelo título – comentou o camisa 10.

A ressalva de El Cabezón é o título gaúcho. O Inter perdeu no Beira-Rio para o Grêmio e foi buscar a taça no Olímpico, com vitória por 3 a 2, de virada.

- Não podemos esquecer que ganhamos um Gauchão dificílimo, importantíssimo. Ninguém acreditava que o Inter fosse virar. Conseguimos virar dentro do Olímpico. Mas o Inter não se conforma com isso. É muito maior do que isso. Temos a obrigação de ganhar tudo que jogamos. Às vezes, não dá. Temos que continuar brigando. Nosso trabalho é que o clube continue em primeiro plano em nível internacional – disse o jogador.

Para continuar em primeiro plano no nível internacional, como quer D’Alessandro, é fundamental que o Inter avance à Libertadores. O camisa 10 confia nisso.

- Para o Inter, é muito importante (disputar a Libertadores). O Inter é um dos clubes brasileiros mais importantes. É o clube que nos últimos anos ganhou quase tudo que jogou. Isso é trabalho do clube, da diretoria, de quem trabalha no dia a dia. Sabemos que o título mais importante da América do Sul é a Libertadores. Jogar é um prestígio. É muito importante. Pessoalmente, para mim, se a gente conseguir a vaga, será mais um objetivo cumprido no clube.

Ao fechar quatro anos de Inter, D’Alessandro soma cinco títulos: a Libertadores de 2010, a Sul-Americana de 2008, a Recopa de 2011 e os Gauchões de 2009 e 2011. O jogador tem contrato com o Colorado até maio de 2015.          

veja também