MENU

Damião faz três, dá empate ao Inter contra o Caxias e provoca o Grêmio

Damião faz três, dá empate ao Inter contra o Caxias e provoca o Grêmio

Atualizado: Segunda-feira, 14 Março de 2011 as 10:49

Das chuteiras de Leandro Damião sai o milagre da multiplicação dos gols. Neste domingo, ele marcou mais três vezes e assegurou ao Inter o empate por 3 a 3 contra o Caxias na Serra Gaúcha, pela Taça Farroupilha, o returno do Estadual. O jogador já havia feito três gols na última quinta-feira, contra o Ypiranga. Os números dele em 2011 são de assombrar qualquer zagueiro: 12 bolas na rede em apenas sete jogos. Incrível.

Alem de goleador, o atacante mostrou que pode criar polêmica. Ao comemorar seu terceiro gol na partida, começou a fazer uma contagem com os dedos. Parecia estar enumerando seus feitos, mas não foi exatamente isso. O jogador estava era ironizando os oito minutos de acréscimos da final do primeiro turno do Gauchão, entre Grêmio e Caxias, na última quarta-feira. Minutos depois, os tricolores Douglas e Carlos Alberto responderam à provocação pelo Twitter.

O jogo foi quente no primeiro tempo, com dois gols para cada lado, e morno na etapa final, com a última ferida aberta por Damião na zaga grená, mas também com a reação derradeira do Caxias. Itaqui, Waldison e Everton marcaram para o time da casa.

Com o resultado, o Inter subiu para quatro pontos, na liderança momentânea do Grupo A. O Caxias, treinado interinamente por Ricardo Cobalchini, de apenas 25 anos, fez seu primeiro ponto na Taça Farroupilha – foi sua estreia no returno. O Colorado volta a campo quarta-feira, na Bolívia, pela Libertadores, contra o Jorge Wilstermann. No sábado, recebe o Novo Hamburgo pelo Gauchão.

Jogão no primeiro tempo: 2 a 2

Tudo pode mudar em um minuto. Pipoca um exemplo em Caxias x Inter. Aos 24 minutos do primeiro tempo, o jogo estava empatado por 1 a 1, e Zé Roberto se ajeitava para cobrar um pênalti. Os colorados tinham a faca, o queijo, a mesa, tudo nas mãos para ganhar vantagem no placar. O meia-atacante vermelho partiu para a cobrança e chutou com a delicadeza de quem embala um recém-nascido. A bola engatinhou até o gol e foi defendida pelo goleiro serrano. Menos de dois minutos depois, o Caxias fez 2 a 1 com Waldison.

A reviravolta foi apenas mais um elemento da composição de um jogaço no Centenário. Logo com três minutos, o Caxias encaixou um contra-ataque impecável. Lima acionou Itaqui, que recebeu na entrada da área e bateu colocado, no canto direito de Lauro, para colocar o time da casa na frente.

O Inter estava pesadão em campo. Demorou a se encontrar. O Caxias poderia ter ampliado com Everton, em chute defendido por Lauro. Os visitantes responderam com Leandro Damião, que logo viraria o protagonista dos primeiros 45 minutos. Ele bateu cruzado, e André defendeu.

Mas o oposto aconteceria poucos minutos depois. Em vez de defender, o goleiro soltou; em vez de lamentar, Damião comemorou. Oscar, novamente muito bem, cruzou da direita. André não conseguiu encaixar a bola, que saltitou na frente de Tinga. O meia desviou, e o centroavante mandou uma patada para dentro do gol. O jogo estava empatado.

Aí teve o pênalti em Zé Roberto, a cobrança exageradamente delicada, a recuperação de André, o gol de Waldison. O time da casa voltou a ter chances. Mas não fez, e acabou punido. Aos 45 minutos, Massari cruzou muito bem da esquerda, Zé Roberto desviou de cabeça, o goleiro salvou e Damião completou para o gol. O centroavante estava em impedimento ao concluir, o que só aumentou a irritação do Caxias, que já havia resmungado por pênalti de Lauro em Everton.

Damião, sempre Damião. E empate do Caxias

O segundo tempo não teve a mesma dose de empolgação do primeiro. Sem as reviravoltas de antes, sem a troca constante nas idas ao ataque, sem tantas falhas, as chances de gol viraram artigo raro. Celso Roth contribuiu com o maior equilíbrio ao colocar Juan no lugar de Massari, fortalecendo o sistema defensivo vermelho.

Oscar caiu de rendimento, e a bola chegou menos a Damião - menos, mas o suficiente para mais um gol. Tinga foi esforçado, correu muito, chegou com força ao ataque, mas teve pouca vitória pessoal. O Caxias, no mesmo compasso do adversário, deixou de criar o envolvimento com Itaqui, Waldison, Everton e Lima.

Mesmo com o jogo menos intenso, Damião seguiu como principal fonte de perigo. Aos 27 minutos, ele quase marcou, de cabeça, seu terceiro gol na partida. A bola saiu por cima do gol defendido por André. Ficou guardada para minutos depois. Na sequência, Celso Roth mandou Rafael Sobis a campo, e o jogador logo mandou chute forte de longe. O goleiro caxiense espalmou.

O jogo tinha pinta de empate. E o Inter tem Damião. Foi de cair o queixo o quanto o centroavante subiu aos 30 minutos para mandar cabeceio precioso no canto direito de André. A bola beijou a trave antes de entrar. O centroavante marcou seu 12º gol em apenas sete jogos em 2011.

Mas a partida não tinha acabado. Everton, aos 40, ainda buscou o empate - quando o Caxias tinha um jogador a menos, depois da expulsão de Lima, por chute em Índio. Tinga e Damião ainda perderiam chances que poderiam ter mexido ainda mais em um placar já cansado de tanta movimentação.

Santa vence em Santa Maria

Em outra partida realizada no mesmo horário, o Santa Cruz-RS derrotou fora de casa o Inter de Santa Maria, por 3 a 0. Esta foi a segunda vitória na Taça Farroupilha do Santa, que se iguala em pontos (seis) ao líder do Grupo B, Cruzeiro-Poa, mas com desvantagem no saldo de gols. Osmar, Leonardo e Alê Menezes marcaram para a equipe visitante.      

veja também