MENU

De olho no Pan, ginasta representa o Brasil em etapa da Copa do Mundo

De olho no Pan, ginasta representa o Brasil em etapa da Copa do Mundo

Atualizado: Terça-feira, 22 Março de 2011 as 9:34

Com os pés no chão e a cabeça nos Jogos Pan-Americanos. Assim está Eliane Sampaio, 18 anos, uma das esperanças da ginástica rítmica brasileira. A gaúcha de Porto Alegre está pronta para 2011, ano de muita responsabilidade para ela. O primeiro desafio é a classificação para o Pan de Guadalajara, no México, e a luta começa agora, na competição que abre 2011: a Copa do Mundo de Pesaro, na Itália, a partir desta sexta-feira. Eliane é a única brasileira no torneio entre 46 ginastas de 31 países.

A ginasta vem se preparando desde o início do ano numa rotina de treinos que ocupa toda a semana. Esforço, ritmo e, principalmente, confiança não faltam, mas ainda existem algumas dificuldades pelo caminho. Por isso,  é importante manter os pés no chão.

- Em termos de resistência estou bem preparada, mas ainda tenho que amadurecer mais nas coreografias novas. Como esta é a primeira competição do ano, imprevistos (na hora da apresentação) são normais. Estou bem tranquila, com os pés no chão. O importante é estar confiante - afirma Eliane.

A apresentação terá novidades. A porto-alegrense vai se apresentar nos quatro aparelhos, sendo que, em dois deles, com séries novas - nas maças (que entraram no lugar da corda neste ano) e na fita. Em Pesaro, o Brasil não estará representado na disputa de conjunto. A seleção foi reformulada e ainda se prepara para competir.

Chances para o Pan e planos para as Olimpíadas 2012

A seleção de individual, formada por Eliane Sampaio, Drielly Daltoé, Natália Gaudio e Simone Luiz, ficou com a medalha de bronze em dezembro de 2010 e garantiu a vaga para o Pan. No individual geral, Eliane foi a melhor brasileira, terminando na sétima colocação.

A classificação para os Jogos de Guadalajara começa agora. As duas ginastas brasileiras que tiverem a melhor posição nos torneios poderão ir para a competição no México.

- É importante começar o ano bem, representar bem o país. Quanto às Olimpíadas... antes vai ter o Mundial classificatório (ainda neste ano). É complicado porque ficar entre as 20 melhores do mundo não é tão fácil... - admite Eliane.

Influenciada pela prima, ela pratica ginástica rítmica desde os 8 anos. Há dois, compete pela seleção brasileira Individual da modalidade. A ginasta acredita que, aos poucos, o esporte vai ganhar a atenção do torcedor brasileiro, acostumado a torcer por Diego Hypolito, Danielle, Jade e Daiane em outra modalidade da ginástica, a artística.

- O ruim é que o esporte não é muito divulgado, ainda é desconhecido por muitos. Mas, aos poucos, a gente muda isso - afirma a ginasta.      

veja também