MENU

De virada, Grêmio perde fora de casa para o Junior Barranquilla-COL

De virada, Grêmio perde fora de casa para o Junior Barranquilla-COL

Atualizado: Sexta-feira, 25 Fevereiro de 2011 as 8:06

O Grêmio saiu na frente mas não conseguiu manter o resultado. De virada, os tricolores gaúchos perderam para o Junior Barranquilla-COL por 2 a 1, na madrugada de quinta para sexta-feira, pela segunda rodada do Grupo 2 da Taça Libertadores.

A partida, disputada no Estádio Metropolitano, em Barranquilla, na Colômbia, quase ficou marcada por um gol antológico do zagueiro Rodolfo, em chute de antes do meio do campo, um minuto antes de o Grêmio sofrer o segundo gol. No fim, o árbitro deu apenas um minuto e meio de acréscimo.

Borges abriu o placar para o Grêmio. Hernández e Viáfara marcaram os gols colombianos. O Junior Barranquilla-COL agora isola-se na liderança da chave, com 6 pontos. O Grêmio, pelo saldo de gols, é o segundo colocado, com 3 - ao lado do León de Huánuco-PER. O Oriente Petrolero-BOL está na lanterna, sem nenhum ponto.

Início promissor

Minutos antes do início da partida, Renato Gaúcho se viu obrigado a modificar o time do Grêmio. Com dores no joelho direito, Lúcio não passou no derradeiro teste físico, e deu lugar a Adilson no meio-campo. Carlos Alberto já estava confirmado.

Com as novas camisas azuis celestes o Grêmio jogou da forma como gosta seu treinador. Mesmo fora de casa, contra aproximadamente 30 mil torcedores adversários, os gaúchos posicionaram-se de início no campo de ataque.

E assim surgiu o primeiro gol. Trocando passes, o Grêmio cercou a área do Junior Barranquilla-COL. E quando perdeu a posse, não recuou. Pelo contrário. Fábio Rochemback adiantou-se, roubou a bola, e deu origem à combinação finalizada pelo disparo de canhota do centroavante Borges, aos 4 minutos. A bola ainda tocou o travessão antes de entrar: 1 a 0.

Dez minutos depois os colombianos responderam, acertando o poste esquerdo defendido por Victor. Mas a sorte acompanhou o Grêmio no lance e, em vez de passar a linha, a bola voltou para a área, e foi afastada pelo bico do pé esquerdo de Rodolfo.

Pressão aérea

Com jogadores altos, o time da casa investiu nos cruzamentos. Houve uma sequência de cinco escanteios, todos anulados pela defesa tricolor. O Grêmio já esperava por isso, e o combate à bola alta foi estudado em vídeos, e treinado em campo.

Mas foi pelo chão que saiu o empate do Junior Barranquilla. Aos 28, o ágil Giovani Hernández apanhou um rebote rasteiro na área gremista, e com categoria empatou.

Aquele início promissor do Grêmio não mais se repetiu. Embretado pela pressão colombiana, o time gaúcho passou a cometer faltas. Carlos Alberto, amarelado, colocava sua permanência em campo sob risco iminente:

- Mais uma falta e ele vai expulsar o Carlos Alberto - disse Renato, à beira do campo.

Sete minutos depois do empate o treinador gremista substituiu Carlos Alberto, colocando o lateral-esquerdo Bruno Collaço no meio-campo - a exemplo do modelo de jogo elaborado a partir da presença do titular Lúcio no setor. Evitou a expulsão do camisa 22, e conseguiu arrefecer o ímpeto do Junior.

Pé no freio

Do vestiário, o Grêmio saiu mais tranquilo. Voltou a valorizar a posse de bola, trocando passes na intenção de retirar do Junior Barranquilla-COL a velocidade de suas transições ofensivas.

Bem posicionado, e articulado, o Grêmio recomeçou melhor o jogo. E teria a chance de passar à frente se o árbitro mexicano Marco Rodríguez tivesse marcado pênalti no centroavante Borges. Lançado na área, ele foi puxado pelo zagueiro, mas o juiz ignorou o lance.

A estratégia tricolor, entretanto, deu certo. Não se repetiram a pressão, a insistência ou a rapidez de movimentos ofensivos dos anfitriões. Pelo contrário. Com boas atuações de Rochemback e Douglas, o Grêmio controlou o segundo tempo com passes curtos, tabelas e marcação eficiente.

Incrível é pouco

Em um minuto, o jogo incendiou-se novamente. Aos 28 o zagueiro Rodolfo quase marcou um gol antológico no Estádio Metropolitano. De antes do meio-campo, ele percebeu o goleiro Rodríguez adiantado, e bateu forte.

A bola tomou a direção certa, mas bateu no chão dentro da pequena área, subiu e encobriu o travessão. Durante frações de segundos, o público silenciou completamente. E todos, atônitos, assistiram à salvação do goleiro. Rodolfo já corria para comemorar, e ajoelhou-se lamentando o azar. Incrível.

E aos 29, o Junior virou a partida. Após cruzamento, o volante Viáfara completou uma linha de passes aérea e antecipou-se ao goleiro Victor: 2 a 1. Placar que persistiu até o final.

Próximos jogos

Pela Taça Libertadores, o Grêmio volta a jogar às 20h15m da próxima quinta-feira, dia 03 de março. Será no Estádio Olímpico, contra o Léon de Huánuco-PER, pela terceira rodada do Grupo 2.

Antes, às 16h de domingo, o Grêmio encara o Cruzeiro-Poa pela semifinal da Taça Piratini - o primeiro turno do Campeonato Gaúcho - também no Olímpico.      

veja também