MENU

De volta ao STJD nesta quinta Abel não deve ficar no banco no clássico

De volta ao STJD nesta quinta Abel não deve ficar no banco no clássico

Atualizado: Quinta-feira, 1 Dezembro de 2011 as 10:48

O técnico Abel Braga voltará ao banco dos réus do Superior Tribunal de Justiça Desportiva nesta quinta-feira. Condenado em primeira instância, o comandante será julgado pelo Tribunal Pleno da entidade por sua expulsão na partida contra o Flamengo, no último dia 9 de outubro, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Abelão pegou quatro jogos de suspensão por ter insultado o árbitro, o quarto árbitro, e ainda se recusado a deixar o gramado. Graças a um efeito suspensivo, porém, o treinador continuou exercendo seu trabalho normalmente. Mas com o novo julgamento a chance de o mesmo ter condições de comandar o Fluminense à beira do campo no clássico deste domingo, contra o Botafogo, às 17h (de Brasília), em Volta Redonda, é muito pequena.

- Estou confiante, mas é um caso muito difícil. Já foi em primeira instância e será agora novamente - resumiu o advogado tricolor Mário Bittencourt.

Segundo o juiz Felipe Gomes da Silva relatou na súmula, Abel teria insultado o quarto árbitro com as seguintes palavras: “Não vou para a área técnica não seu safado, filho..., vai para o c..., seu ladrão”. Em seguida, se negando a deixar o local, o treinador continuou insultado o quarto árbitro, dizendo: “Você é um safado, seu ladrão, eu não vou sair quero ver me tirar”. O policiamento foi chamado, mas o comandante tricolor continuou nos arredores do campo. Ao final do jogo, Abel ainda invadiu o campo e, com o dedo apontado em direção ao trio de arbitragem, disparou: “Safado, sem vergonha, tira a camisa vermelha e preta que está por baixo, filho da...”.

Abel Braga precisou ser contido pelo policiamento no último Fla-Flu (Foto: Jorge William / Agência O Globo) Indiciado em quatro artigos, Abelão poderia pegar até 29 jogos de suspensão. A defesa de Mário Bittencourt, no entanto, conseguiu descaracterizar três deles, resultando na pena (mínima para o artigo) de quatro partidas por ofensa, e manteve o treinador apto a dirigir a equipe até a última partida em que o Fluminense teve chances de título, domingo passado, contra o Vasco. Amparado em um efeito suspensivo conseguido dias depois do primeiro julgamento, Abel seguiu trabalhando normalmente. Tal manobra tem validade até esta quinta, data da nova audiência. Como não cumpriu nem sequer uma partida de suspensão, a chance do mesmo ficar no banco contra o Botafogo é ínfima. Ainda que Bittencourt consiga descaracterizar a acusação de ofensa para desrespeito, o que já é considerado difícil, o treinador deverá pegar pelo menos um jogo.

Rafael Moura também será julgado

Além de Abel, o atacante Rafael Moura também será novamente julgado nesta quinta. Na primeira audiência, o atacante pegou dois jogos de suspensão por uma cusparada no meia Renato Abreu, do Flamengo. Ao contrário da estratégia utilizada no caso do treinador, porém, o departamento jurídico do Fluminense optou por não pedir o efeito suspensivo visando ter o jogador apto a atuar na reta final do Brasileirão.

-- O caso do Rafael é diferente. Como não pedimos o efeito suspensivo e ele cumpriu a pena, mesmo que a punição seja mantida o jogador terá condições de jogo no domingo - disse.        

veja também