MENU

Defesa continua a sofrer gols, e Galo apenas empata com o Zebu: 1 a 1

Defesa continua a sofrer gols, e Galo apenas empata com o Zebu: 1 a 1

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 8:23

Atlético-MG e Uberaba fizeram um jogo com emoções regradas. Se no primeiro tempo foram apenas alguns minutos de bom futebol, a etapa final foi uma cópia, mas com dois gols, um para cada lado. Apesar de ter uma zaga de respeito, o Galo continua a sofrer gols em todos os jogos, e o Zebu, próximo da zona de rebaixamento, ficou satisfeito com o ponto conquistado. (Veja o gol do Galo ao lado).

Agora, o Atlético-MG se isola na vice-liderança com 17 pontos, dois atrás do Cruzeiro e um à frente do América-MG, que tem uma partida a menos. Já o Uberaba chega aos sete pontos e se mantém na nona posição.

O Galo volta a campo na próxima quinta-feira, dia 31, às 20h (de Brasília). Vai a Presidente Prudente (SP), onde enfrenta o Grêmio Prudente, pela segunda fase da Copa do Brasil. Pelo Campeonato Mineiro, o compromisso é no dia 3 de abril, domingo, às 18h30m, em Governador Valadares, contra o Democrata. Já o Zebu recebe o Funorte, no Uberabão,  no dia 2 de abril, às 16h.

Primeiro tempo sem graça

O jogo começou morno na Arena do Jacaré. A postura do Uberaba era nitidamente defensiva, com todos os jogadores atrás da bola e duas linhas de marcação, criando um verdadeiro ferrolho. O Atlético-MG tinha dificuldades para furar o bloqueio e, para complicar ainda mais, errava muitos passes.

As duas principais chances de gol na metade do primeiro tempo foram do Uberaba, em chutes de longa distância de Maurinho e Cristiano Brasília, que obrigaram Renan Ribeiro a fazer boas intervenções.

A resposta atleticana veio com três finalizações de Ricardinho. Uma numa cobrança de falta, outra num chute de bate pronto, e a terceira numa batida colocada, que Fernando defendeu bem.

A melhor chance do Galo no primeiro tempo veio aos 32 minutos. Jobson lançou Renan Oliveira, que entrou livre na área, mas bateu em cima do goleiro Fernando.

O Atlético-MG ainda criou mais algumas chances antes do final do primeiro tempo, com Ricardo Bueno e Richarlyson, mas o intervalo chegou sem que o placar tivesse sido modificado na Arena do Jacaré.

Um gol para cada lado

O segundo tempo começou com um susto para a torcida do Atlético-MG. Réver falhou feio e entregou a bola nos pés de Rômulo, que entrou na área e bateu para boa defesa de Renan Ribeiro.

Mas, no lance seguinte, os atleticanos finalmente puderam soltar o grito da garganta. Jobson foi à linha de fundo e cruzou na área. Ricardo Bueno subiu até o terceiro andar e acertou uma linda cabeçada, sem chances de defesa para Fernando.

Após o empate do Uberaba, Dorival Júnior mandou a campo Neto Berola e Magno Alves. Com três atacantes, o Galo passou a pressionar em busca do desempate.

O Uberaba, porém, não estava morto em campo. O Zebu buscava os contra-ataques e levava muito perigo, principalmente com o veterano lateral Maurinho, que mostrava fôlego e disposição de garoto.

A principal jogada do Atlético-MG era cruzar bolas na área do Uberaba, mas as raras vezes em que os atacantes levavam vantagem sobre os zagueiros eram anuladas pelo goleiro Fernando.

Com isso, o jogo se arrastou até o fim com um empate, que acabou sendo justo, pelo futebol apresentado pelas duas equipes. Insatisfeita, a torcida do Galo gritou olé a cada toque na bola da equipe do Triângulo Mineiro e só esperou o apito final para vaiar muito o time.

Por Marco Antônio Astoni

veja também