MENU

Defesa santista contrasta com ataque e compromete rendimento

Defesa santista contrasta com ataque e compromete rendimento

Atualizado: Sexta-feira, 14 Maio de 2010 as 10:47

O poderoso ataque do Santos não está sendo suficiente para garantir vitórias. A equipe segue encarando sérios problemas defensivos, e teve uma queda vertiginosa no aproveitamento dos pontos nos últimos jogos. Com os quatro gols marcados pelo Grêmio, na última quarta-feira, no estádio Olímpico, a defesa chegou a incrível marca de 50 gols sofridos na temporada, em 34 jogos. Média de 1,47 por partida.

O número contrasta com o apresentando pelo ataque, responsável por 110 gols, em uma média de 3,23 por jogo. O setor ofensivo segue eficiente, mas a defesa santista se tornou comprometedora.

Nos últimos sete jogos foram 19 gols sofridos, e 18 gols marcados. Neste período, o Santos venceu apenas dois jogos (diante do Santo André, 3 a 2, e Atlético-MG, 3 a 1), empatou uma vez (com o Botafogo, 3 a 3) e perdeu quatro partidas (contra Guarani, Santo André e Atlético, todos por 3 a 2, e contra o Grêmio, por 4 a 3). O aproveitamento foi de apenas 33,3%.

A falta de opções para a zaga é uma das principais queixas de Dorival Júnior aos dirigentes. Atualmente, ele conta com apenas três zagueiros à disposição. Os titulares Durval e Edu Dracena, e o reserva Bruno Aguiar. O outro defensor do elenco, Bruno Rodrigo, sofre de lombalgia, e realizou uma cirurgia recentemente. Já Luciano Castan deixou o clube na semana passado após o término do vínculo.

A diretoria alvinegra já realizou reuniões com o treinador desde o fim do Campeonato Paulista para tratar de reforços. A contratação de um zagueiro foi colocada como prioridade.

Antes de iniciada as fases finais do Campeonato Paulista e Copa do Brasil, a defesa santista já era considerada o ponto fraco do time, porém, ainda conseguia manter uma média baixa de gols sofridos.

No estadual, o alvinegro sofreu sete gols nos quatro últimos jogos. Na competição nacional, o problema é mais evidente. Após passar pelos frágeis Naviraiense-MS e Remo-PA sem sofrer gols, o time foi vazado 12 vezes em dois jogos contra o Guarani, dois diante do Atlético-MG, e um contra o Grêmio.

O time é o segundo mais vazado na Copa do Brasil. Só ficando atrás do Guarani, que sofreu 13 no total, sendo oito na goleada santista, na Vila Belmiro, no jogo de ida das quartas de final da competição.

Por João Henrique Marques

veja também