MENU

Déficit mensal de R$ 5 milhões deixa Inter inseguro para a Copa

Déficit mensal de R$ 5 milhões deixa Inter inseguro para a Copa

Atualizado: Quinta-feira, 3 Março de 2011 as 4:12

O Inter teme que as reformas no Beira-Rio para receber a Copa do Mundo de 2014 detonem as finanças do clube. E os números justificam a preocupação. Segundo o executivo-chefe do Colorado, Aod Cunha, o déficit mensal no atual campeão da Libertadores é de R$ 5 milhões. Com as obras em andamento e um elenco caro para bancar, o clube se sustenta na constante venda de jogadores para o exterior.

O problema é que a fertilidade das categorias de base pode não durar para sempre. É por isso, com pensamento preventivo, que o Inter não quer bancar apenas com recursos próprios as reformas no estádio.

- O clube tem um déficit operacional mensal próximo a R$ 5 milhões. No final do mês, é isso que falta. A questão é que nos últimos anos o clube foi bem sucedido, porque formou bem os atletas e vendeu valores significativos de direitos federativos. Mas essa fonte é incerta e vem diminuindo ao longo do tempo. A curva é descendente, mesmo que o Inter seja o clube que mais teve recursos com direitos federativos no ano passado. Temos que diminuir esse risco – disse Aod Cunha.

A nova diretoria do Inter, antes mesmo de assumir, se mostrava preocupada com a saúde financeira do clube. Foi por isso que o presidente Giovanni Luigi contratou Aod Cunha. Com ele, a ideia é criar um projeto de diminuição de gastos e otimização de lucros. Passa por esse processo a extinção do time B e a negociação de aproximadamente 30 jogadores depois do fracasso no primeiro turno do Gauchão.

Mas a grande preocupação da diretoria é o estádio. A cúpula administrativa do clube não vê como cumprir o que pede a Fifa sem fazer parceria com uma empreiteira.

- O Conselho tem que fazer uma escolha. O que eu posso, como contratado do clube, como responsável por dar transparência aos números, é informar sobre os riscos. Aquele que minimiza os riscos é o projeto de uma parceria estratégica – afirmou Aod Cunha.

A decisão entre um modelo com recursos próprios e outro com auxílio da empreiteira Andrade Gutierrez cabe ao Conselho Deliberativo e deve sair no dia 14 de março.      

veja também