MENU

Deivid revela que não deixou o Fla por confiar em parceria com Luxa

Deivid revela que não deixou o Fla por confiar em parceria com Luxa

Atualizado: Terça-feira, 16 Agosto de 2011 as 2:28

Vice-artilheiro do Brasileirão com oito gols, Deivid espera ter engrenado de vez no Flamengo. O atacante crê que depois do jogo contra o Figueirense, em que marcou dois gols, o relacionamento com a torcida tenha melhorado. No entanto, o centroavante revela que pensou em deixar o time. Só não concretizou o planejado porque a parceria com o técnico Vanderlei Luxemburgo falou mais forte.

Uma década ao lado de Luxemburgo

"Trabalhei com o Vanderlei no Cruzeiro, no Corinthians e no Santos. Conheço ele há dez anos. Onde trabalhamos juntos, ganhamos títulos. Esse foi um dos motivos de eu não ter ido embora do Flamengo. Ele acredita e confia em mim pelo que mostrei lá trás. Quero retribuir a confiança que ele tem em mim".

Boa fase

"Espero que essa fase permaneça por muito tempo. Quero continuar dando alegria para os torcedores e ser campeão brasileiro em dezembro. Tomara que eu tenha me recuperado e embalado com os gols".

Para Deivid, um dos trunfos do Gaúcho é o raciocínio

rápido (Foto: Fabricio Costa / Globoesporte.com)

  Disputa pela ponta da tabela

"O próximo 'leão' é o Atlético-GO. O jogo é difícil, temos que ganhar para passar o Corinthians e terminar o turno na liderança".

Relacionamento com a torcida

"O relacionamento com o torcedor mudou um pouco, mas a cobrança sempre vai existir. Não adianta ter feito dois gols contra o Figueirense e ficar cinco jogos sem marcar. Tem que estar sempre pronto, nunca relaxar".

Pressão de jogar no Flamengo

"Nunca passei por isso, de receber essa pressão enorme. Joguei em outros clubes grandes como o Cruzeiro, o Corinthians e o Santos. Mas no Flamengo você tem que matar um leão e correr de dois (leões) todo dia. Isso é novidade para mim. Percebi como era grande essa pressão contra o Goiás, no Serra Dourada, ano passado. A gente perdia por 1 a 0 e vieram vaias para cima de mim. Tudo que você faz de bom e ruim no Flamengo repercute bastante".

Amparo da família

"Estou começando a entrar nos eixos. Levei muita pancada, fui cobrado e as pessoas duvidaram do meu futebol. Eu chegava em casa, olhava para a minha esposa e meus filhos e eles pediam para eu dar a voltar por cima, não me acovardar. Quebrei uma perna e voltei a jogar dois meses e meio depois. Não é aqui que as pessoas vão falar de mim e eu vou baixar a guarda".

Conversa providencial com Vanderlei Luxemburgo

"Tive uma conversa particular com o Luxemburgo. Ele mexeu com o meu ego. Falou que eu era um vencedor, para eu não ser frouxo e que confiava em mim, antes do jogo diante do Palmeiras. A força do grupo, que sempre confiou em mim, também foi muito importante".

Disputa de vaga no ataque com Jael

"Ter um grupo muito forte é bom. Seu reserva entra e faz gol. O Jael é um ótimo jogador, nota 10 e nos ajudou contra o Coritiba. Desejo que ele conquiste a torcida e muitos títulos pelo Flamengo".

Deivid diz que o objetivo do Fla é terminar o turno na

liderança (Foto: Fabricio Costa / Globoesporte.com)

  Relacionamento com Ronaldinho Gaúcho

"Nos falamos por telefone antes de ele fechar com o Flamengo. O Ronaldinho brincou que era um sonho jogar ao meu lado. Eu disse que o sonho era meu, porque ele tinha sido eleito o melhor do mundo por duas vezes. Ele tem um raciocínio muito rápido. Enquanto você come um peixe, ele já comeu três".

Thiago Neves faz diferença

"Fica muito fácil jogar ao lado de atletas talentosos. O Thiago Neves é um grande jogador. Foi bem no Paraná, no Fluminense e agora no Flamengo".

Wellinton, o melhor companheiro

"Todos são meus amigos no Flamengo. Só que converso mais com o Wellinton, que é meu parceiro de quarto. Não tenho inimigos no futebol"

Comemoração contra o Figueirense

"Fiz aquela comemoração para extravasar a pressão e a alegria. Era um jogo que a gente não podia perder ponto. Claro que o ideal eram os três pontos, mas que esse um ponto também seja importante para trazer o título".

Seleção Brasileira

"Já sonhei mais, agora estou com 31 anos. No meu auge, quando disputei três títulos pelo Corinthians e ganhei dois, não fui convocado. Na época também bati o recorde de gols do Romário no ano. Então, não projeto nem me alimento disso. Mas se vier, vou fechar a minha carreira com chave de ouro".

Melhores atacantes do futebol brasileiro

"Gosto do Liedson, do Leandro Damião, do Borges e do Fred".            

veja também