MENU

Democrática, corrida muda rotina de moradores e "forasteiros" no Alemão

Democrática, corrida muda rotina de moradores e "forasteiros" no Alemão

Atualizado: Segunda-feira, 16 Maio de 2011 as 1:31

?>O dia amanheceu propício para a festa no Complexo do Alemão. E foi o que aconteceu neste belo domingo de sol no Rio de Janeiro. Numa região que até seis meses atrás estava isolada por trilhos de trem fincados no asfalto para não permitir uma aproximação de veículos da polícia, centenas de corredores cruzaram a linha de chegada do Desafio da Paz, partindo da Vila Cruzeiro e passando em seguida por uma ex-rota do tráfico.

? midia-largura-620? componente_materia>

Bandeira brasileira é hasteada em prova carioca  (Foto: André Durão / GLOBOESPORTE.COM) ?>A festa foi voltada para os moradores, afinal 400 vagas foram destinadas gratuitamente para eles. Além disso, concorriam a R$ 20 mil em dinheiro. Mas, democrática, a corrida recebeu convidados de fora. E não foram poucos. Apareceu o governador Sérgio Cabral, senadores, artistas, medalhistas olímpicos, corredores da zona sul, boa parte da imprensa carioca e até de fora, entre outros personagens.

?>

 

?>- Este é um marco na história da comunidade. Teve o marco da pacificação e agora temos o marco de uma espécie de consagração dessa conquista. E nada melhor do que um esporte como a corrida para mostrar que todos podem - disse Cabral, que não correu por conta de um problema no joelho.

? componente_materia midia-largura-300?>

Exército ocupa a região para garantir a segurança

(Foto: André Durão / GLOBOESPORTE.COM) ?>Só que, antes de cruzarem a linha de chegada, os quase mil competidores tiveram que percorrer um difícil trajeto. Não tão complicado quanto o que os moradores passaram em novembro do ano passado, quando houve a pacificação nas comunidades. Mas seria injusto dizer que o percurso de trilha com subidas e descidas foi fácil. Tanto é que até medalhista olímpico reclamou.

?>- Apesar de ser bonito, o percurso foi muito complicado – disse Vanderlei Cordeiro de Lima logo após cruzar a linha de chegada.

?>Antes da largada, os participantes da “festa” ainda se mostravam tímidos. Carros do exército passavam pelas ruas e meninos aprontavam traquinagens, pulando os muros das casas. O percurso de terra, já usado por traficantes, ainda estava molhado por conta da chuva no dia anterior, dificultando ainda mais a vida dos atletas. Também seria normal pensar que os moradores levariam vantagem por conhecerem o percurso. Ledo engano.

?>- Nunca passei pelo percurso apesar de morar aqui há anos. Costumo correr por aqui, mas será a primeira vez que vou fazer essa rota - disse o morador Paulo Sergio.

?>

  ?>

Assim como ele, muitos moradores nunca haviam passado pelo trajeto, que era rota do crime. Agora, sem os traficantes, corredores de fora da comunidade deixaram de participar de tradicionais provas do calendário carioca para ir ao desafio. ?>- Eu ia disputar as 10 Milhas Brasil, no Aterro do Flamengo, mas preferi correr aqui pelo evento marcante. Não sei quando vai ter outra dessa novamente. É um momento ímpar - disse o corredor Vinicius Zimbrão, ao lado da também participante Niva Mello.

? componente_materia midia-largura-300?>

Morador José fatura prêmio de R$ 6.000

(Foto: Lucas Loos/Globoesporte.com) ?>A festa, sem dúvida, acabou sendo marcante para todos, especialmente para José Carlos Barrete da Silva e Francilene de Araújo Souza, que venceram as duas categorias (masculina e feminina) exclusivas para moradores. Cada um deles faturou R$ 6.000. Ele, que corre há sete anos, completou o trajeto em 19m38s, enquanto ela terminou a prova em 22m33s.

?>Já entre os atletas da elite, o mineiro Franck Caldeira faturou a prova masculina, com o tempo de 16m03s. A segunda colocação ficou com José Rodrigues da Fonseca, que terminou a prova em 16m26s, enquanto Valério de Souza Fabiano chegou em terceiro, com a marca de 16m48s. No feminino, a queniana Ednah Nukhwana cruzou a linha de chegada em primeiro, com a catarinense Márcia Narloch aparecendo em seguida.  

veja também