MENU

Deola sonha com título internacional e não escolhe adversário da final

Deola sonha com título internacional e não escolhe adversário da final

Atualizado: Sexta-feira, 12 Novembro de 2010 as 1:43

O camisa 22 do Alviverde vive a expectativa de conquistar seu primeiro título internacional com a camisa do clube. Para isso, o Palmeiras terá que superar mais um time brasileiro na semifinal, antes de encarar LDU, do Equador, ou Independiente, da  Argentina, na decisão. Deola não escolhe adversários nesta reta final da Copa Sul-Americana.

- São dois estilos diferentes de jogar. O brasileiro é mais técnico. O sul-americano, fora do Brasil, tem um estilo mais pegado, mais porrada, mais raça. É difícil, não tem como escolher adversário. Eu até brinquei. Me perguntaram se fosse pra escolher entre Avaí e Goiás, quem eu queria enfrentar na final. Eu disse que preferia ir pra final direto. Você vai jogar contra um time de tradição. O Goiás, por exemplo, é um time que muitas vezes brigou por títulos, e o Avaí cresceu muito nestes últimos anos. Embora eles não estejam bem no Campeonato Brasileiro, são grandes times, de muita tradição - disse o goleiro palmeirense, nesta quinta-feira, antes de saber os resultados dos jogos da noite das quartas-de-final.

Ainda sobre a partida desta quarta, Deola afirmou que o Palmeiras jogou com sabedoria, sabendo usar o regulamento, já que tinha conseguido um bom resultado, empate por 1 a 1, no jogo de ida, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).

- Foi um bom jogo, 2 a 0 é um bom resultado. Na Sul-Americana os jogos tem 180 minutos, então você tem que jogar a favor do regulamento. A gente sabia que, contra o Atlético lá, a gente teria que fazer gols. E conseguimos. Na partida de volta, era simples, era só não tomar gols (risos).

Nesta sexta-feira, o elenco palmeirense volta a treinar no CT da Barra Funda visando a partida contra o Atlético-GO, domingo, pelo Brasileirão. O técnico Luiz Felipe Scolari deve escalar vários reservas neste duelo, já que a Sul-Americana é prioridade total da equipe.

Por: Marco Antônio Astoni e Tiago Leme

veja também