MENU

Diário de Pet antes do adeus: faltas, autógrafos, coletiva e treinos alegres

Diário de Pet antes do adeus: faltas, autógrafos, coletiva e treinos alegres

Atualizado: Domingo, 5 Junho de 2011 as 9:08

Na última semana como jogador profissional, Petkovic, 38 anos, preferiu não inovar: com atitudes semelhantes às que teve durante toda a carreira, o gringo treinou forte; ensaiou cobranças de falta; concedeu entrevista coletiva de bom humor e com frases de efeito. Mais uma vez, demonstrou que não gosta de perder nunca, nem em treino; foi festejado pelos companheiros; e, pela última vez na vida, foi para uma concentração – a única coisa da qual, segundo ele, não sentirá falta quando abandonar o futebol.

No diário de Pet de segunda a sábado, os últimos instantes no Flamengo do jogador que marcou história na Gávea, principalmente depois do gol de falta que garantiu o tricampeonato estadual sobre o Vasco, em 2001. Neste domingo, às 16h, diante do Corinthians, o sérvio colocará o ponto final na sua trajetória.

Segunda-feira, dia 30 de maio

Com o time de folga depois do empate em 3 a 3 com o Bahia, Pet fez trabalho à parte e cuidou da vida particular, o que será seu principal foco depois de pendurar as chuteiras. O jogador levou as filhas Ana e Inês para o colégio na Barra da Tijuca, mesmo bairro onde o gringo mora. Depois, foi para seu escritório, sempre envolvido em questões empresariais e também com seu documentário, O Gringo, que entrará no circuito de cinemas no dia 10 de junho.

Terça-feira, dia 31 de maio

Pet procurou se esforçar para entrar em forma(Foto: Janir Junior / GLOBOESPORTE.COM) O time se reapresentou à tarde no Ninho do Urubu, em Vargem Grande (Zona Oeste do Rio). Pet esteve sempre monitorado pelo preparador-físico Marcelo Martorelli. O jogador fez trabalho de fortalecimento na sala de musculação e deu poucas voltas no gramado na companhia de Ronaldo Angelim, companheiro na conquista do Campeonato Brasileiro, em 2009, e Gustavo, zagueiro contratado recentemente e que tinha 14 anos na época do gol de falta do tricampeonato estadual em 2001. Gustavo assistiu ao jogo pela TV, no Espirito Santo, e ainda alimentava o sonho de ser jogador de futebol. Dez anos depois, lá estava ele dividindo os últimos momentos da carreira do Pet.

Quarta-feira, dia 1º de junho

O treinamento foi em tempo integral. Pela manhã, na Praia do Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste da cidade, Pet teve contato com torcedores e foi mais assediado do que Ronaldinho Gaúcho. Antes da atividade, conversou com os preparadores Antônio Mello e Diogo Linhares. Em seguida, participou de todos os exercícios físicos. O jogador foi atencioso, posou para fotos e distribuiu autógrafos para os torcedores que o cercaram. Afastado do grupo desde janeiro, ele vinha treinando na Gávea, mas com contato restrito com o público.

À tarde, em um treino técnico, Vanderlei Luxemburgo utilizou Pet junto com o meio-campo titular, dando pistas de que o jogador começaria como titular. O camisa 43 marcou um belo gol de perna esquerda.

Petkovic distribuiu vários autógrafos na areia do Recreio  (Foto: Richard Souza / Globoesporte.com)  

Quinta-feira, dia 2 de junho

Pet posou para foto do time "campeão" do rachão(Foto: Cezar Loureiro/Globo) Novamente, o jogador treinou em dois períodos. Pela manhã, o time de Pet venceu o rachão, com o gringo posando para fotos depois da vitória. Depois, o sérvio concedeu sua última entrevista coletiva antes da despedida. O gringo lembrou da sua vinda da Sérvia para o Brasil, do gol de falta aos 43 minutos do segundo tempo contra o Vasco, negou qualquer chance de mudar de ideia sobre a aposentadoria e abriu o coração.

- Eu amo o futebol – declarou Pet.

O gringo disse que a única coisa que não sentirá falta é o regime de concentração antes dos jogos. E revelou que o máximo que atuará na sua despedida contra o Corinthians será 45 minutos.

Sexta-feira, dia 3 de junho

Pela manhã, Pet gravou o depoimento que será exibido neste domingo no telão do Engenhão, com agradecimentos à torcida do Flamengo. À tarde, quando os portões do Ninho do Urubu foram abertos para a imprensa, Pet estava entre os titulares. O jogador demonstrou boa movimentação, apesar de estar sem ritmo de jogo. Na entrevista coletiva, Vanderlei Luxemburgo confirmou que Pet atuaria no primeiro tempo, e destacou que o gringo merecia uma festa de despedida em um jogo oficial.

Sábado, dia 4 de junho

No seu último treino como jogador profissional, Pet chegou cedo ao Ninho do Urubu. Depois, disputou um animado rachão. Ele reclamou, fez gol e seu time venceu o de Ronaldinho Gaúcho. Para festejar, os companheiros carregaram o gringo no colo e jogaram o camisa 43 para o alto. Pet ensaiou cobranças de falta. De bom humor, Pet ainda recebeu o carinho da filha Ana. O gringo almoçou com os companheiros de time ainda no Centro de Treinamento. Depois, seguiu para a concentração num hotel na Barra da Tijuca. Mas dessa vez ele não tinha motivos para reclamar da clausura. Afinal, a partir de agora, quarto de hotel somente em viagens a lazer.

veja também