MENU

Didático, calmo e observador, Gomes conquista adeptos na Colina

Didático, calmo e observador, Gomes conquista adeptos na Colina

Atualizado: Quarta-feira, 9 Fevereiro de 2011 as 4

Contratado para ocupar a vaga do demitido Paulo César Gusmão, Ricardo Gomes completa nesta quarta-feira uma semana no Vasco desde a sua apresentação oficial. Contra o Volta Redonda, ele assistiu ao jogo de um camarote e não interferiu no trabalho do interino Gaúcho. O dia seguinte era de colocar o boné, arregaçar as mangas e iniciar na prática sua história na Colina. A estreia foi muito boa, com a vitória por 3 a 0 sobre o Americano, domingo, em São Januário.     O contraste de estilo de Gomes com seu antecessor é facilmente notado. O atual comandante é mais discreto e aposta no poder da conversa ao pé do ouvido ou em grupos mais reduzidos de atletas. Quando o tom de voz aumenta, normalmente é para fazer algum elogio ou incentivo após um passe certo, um cruzamento bem executado, um desarme preciso ou uma finalização certeira.

- Ainda não tivemos muito tempo de trabalho, mas já deu para ver algumas diferenças de ideia de futebol. Cada treinador tem seu pensamento. Altera também um pouco a forma de trabalho, temos que nos adaptar o mais rápido possível. Independentemente do que cada técnico quer passar, cabe ao jogador tentar absorver ao máximo - disse o goleiro Fernando Prass.

Se no jeito Ricardo Gomes é bem diferente de PC, que tem um estilo mais vibrante e com mais broncas e gritos na beira do campo, o novo técnico vascaíno não fez muitas mudanças na armação do time. Ao menos na estreia, manteve a base que estava sendo escalada por Gusmão e Gaúcho. Para o lateral-esquerdo Ramon, a estratégia é tentar combater os erros e fazer o time jogar com simplicidade e objetividade.

- Ele pregou simplicidade na primeira conversa que teve com a gente. Conseguimos executar na partida tudo o que treinamos, e o time fluiu melhor. O Ricardo é um cara inteligente, que soube ver qual era o nosso problema e nos passar de uma forma boa - analisou o camisa 33.     Gomes já mostrou aos jogadores do Vasco seu lado didático, um autêntico professor. Fernando Prass contou que o técnico leva algumas lições para cada treino, normalmente para trabalhar algum setor específico. O goleiro disse que será importante que os jogadores sejam bons alunos para que a equipe não precise ficar em recuperação.

- Ele nos disse: "Hoje vou dar só uma instrução para vocês". Não é muita coisa, apenas uma ou duas informações, mas, se já forem assimiladas pelo grupo, já é um dia ganho de trabalho. Temos que tentar aproveitar bem para que não seja necessário repetir. É aprender e incorporar na nossa maneira de jogar. Ele conversa com todos, e é de responsabilidade de cada um tentar colocar em prática nos jogos - contou o capitão.

O camisa 1 lembrou, que mesmo antes de assumir na prática o seu posto, Gomes fez observações e já as trabalhou em campo. Prass acredita que os atletas precisam assimilar bem as instruções para que o time se encaixe bem.

- Contra o Volta Redonda, ele não estava no campo mas nos observou. No dia seguinte, chegou no vestiário e comentou: "Houve alguns erros atrás e na frente, mas hoje vou falar apenas uma coisa para a parte ofensiva e outra para a defensiva". Aí explicou o que tínhamos feito de errado: "No próximo jogo, não podemos errar mais isso". Trabalhamos no campo o que ele queria. Na terça, ele chamou o pessoal da parte defensiva e também explicou uma situação diferente. Aos poucos as peças vão se encaixando.

Para Prass, uma injeção de ânimo

Outra característica de Ricardo Gomes é ser um bom psicólogo, o que caiu bem no abalado elenco vascaíno. Fernando Prass considera que qualquer mudança de comando é como uma injeção de ânimo, despertando nos jogadores a vontade de fazer da troca de treinador um marco para a arrancada:     - É ruim perder uma pessoa que está trabalhando contigo há algum tempo, mas, na situação em que estávamos, a parte psicológica estava complicada. Desaprender a jogar futebol não acontece. Uma mudança de treinador como a que tivemos tira o foco dos jogadores. Além disso, a mesma expectativa que cria na torcida, cria nos atletas também. Acaba virando um marco para a mudança de fase. Só este pensamento já começa a alterar as coisas.

Ricardo Gomes costuma dar atenção especial aos jogadores reservas, praticamente a mesma recebida pelos titulares. Esta atitude ajuda a manter a motivação dos atletas, que não se sentem esquecidos. Além de dar a impressão de conquistar aos poucos o elenco, o treinador tem sido elogiado pelos corredores pela educação com que trata a todos.

Como, no fim das contas, o mais importante são os resultados, Ricardo Gomes terá sua segunda oportunidade de mostrar trabalho neste sábado, às 19h30m (de Brasília), em Macaé, contra o América. Será a última rodada da fase de classificação da Taça Guanabara. O Vasco, que tem quatro pontos, já não tem chances de chegar à semifinal.    

veja também