MENU

Diego leva bandeira, Solonei recebe seu ouro, e Pan se encerra festivo

Diego leva bandeira, Solonei recebe seu ouro, e Pan se encerra festivo

Atualizado: Segunda-feira, 31 Outubro de 2011 as 10:57

Foram 16 dias de competições em Guadalajara, com 141 medalhas para o Brasil, sendo 48 de ouro. Ao fim das disputas no México, a delegação verde-amarela ainda tinha dois momentos marcantes guardados para a noite de domingo. E eles vieram na cerimônia de encerramento dos Pan de 2011, com a homenagem a Diego Hypolito, que carregou a bandeira, e a entrega do ouro a Solonei Rocha, vencedor da maratona. Com Ricky Martin fechando a tampa, não faltou a tradição dos fogos de artifício, dos discursos políticos (houve até gafe com o fim do horário de verão) e da saudável bagunça dos atletas. Assim chegou ao fim a 16ª edição dos Jogos.

A delegação brasileira faz festa no estádio em Guadalajara (Foto: Luiz Pires/Vipcomm/Divulgação) A tarefa de abrir a festa cantando o hino mexicano coube à cantora Ely Guerra, que preparou o terreno para um breve vídeo que resumiu o Pan em imagens, dia a dia. Em seguida, entraram os porta-bandeiras das delegações, com Diego Hypolito representando o Brasil. O ginasta ganhou três ouros em Guadalajara – no solo, no salto e por equipes – somando agora cinco medalhas em Pans.

 

Diego Hypolito sorri com a bandeira do Brasil

(Foto: Luiz Pires/Vipcomm/Divulgação)   Com a expressão séria, raros sorrisos e a responsabilidade de carregar a bandeira verde-amarela, Diego contrastou com o que veio depois: a entrada dos atletas, na tradicional bagunça com todos pulando, dançando e procurando as câmeras para mandar beijos.

Após o desfile das delegações, o momento solene da noite. Surgiu no centro do palco o pódio da maratona masculina. E no alto dele o brasileiro Solonei Rocha, que garantiu o ouro neste domingo com o tempo de 2h16m37. Entre os colombianos Diego Alberto Colorado (prata) e Juan Carlos Cordona (bronze), Solonei manteve o rosto fechado até ser anunciado como vencedor. Aí abriu o sorriso, recebeu sua medalha e, emocionado, ouviu o hino nacional, enquanto os atletas brasileiros acompanhavam abraçados.

Veio, então, a homenagem aos voluntários, que receberam das mãos de atletas mexicanos medalhas simbólicas. Foi também com uma medalha na mão que o governador de Jalisco, Emilio González Márquez, fez um discurso emocionado e prometeu tentar levar as Olimpíadas para o México – a Cidade do México já recebeu os Jogos de 1968.

O brasileiro Solonei Rocha, ao centro, sorri com a medalha de ouro da maratona (Foto: Reuters) Veio então Mario Vázquez Raña, presidente da Odepa, o Comitê Olímpico das Américas, para fazer o último discurso e declarar oficialmente o fim dos Jogos. Antes de dizer “Nos vemos em Toronto-2015”, ele chegou a se confundir e, na hora da declaração de encerramento, esqueceu que o horário de verão mexicano:

– Hoje, 30 de outubro de 2011, às 21h50m, declaro solenemente encerrados os Jogos Pan-Americanos – afirmou, quando na verdade eram 20h50m no horário local.

Luz no palco e fogos no estádio: clima de festa na cerimônia de encerramento (Foto: AFP) Com o chamado que veio em seguida, citando Toronto, o público nem se importou muito. Dali em diante, longas apresentações de música e dança, com o palco iluminado. Coube a Ricky Martin fechar a tampa. Estava marcado um novo encontro para daqui a quatro anos, no Canadá.          

veja também