MENU

Diguinho iguala Libertadores com Champions e diz: 'É do meu perfil'

Diguinho iguala Libertadores com Champions e diz: 'É do meu perfil'

Atualizado: Quarta-feira, 12 Janeiro de 2011 as 8:34

Diguinho nunca disputou uma Libertadores, mas tudo que viu e ouviu sobre a competição é suficiente para que fique ansioso para a estreia no dia 9 de fevereiro, no Engenhão, contra o Argentinos Juniors, pelo Grupo 3. Famoso pela disposição e marcação forte, o volante do Fluminense não vê a hora de encarar os melhores jogadores sul-americanos e acredita que vai se dar bem nas batalhas.

- (A Libertadores) é do meu perfil. Sou um jogador aguerrido, de pegada, marcação. A competição é assim e motiva muito o jogador. Não só o Brasil, mas o mundo todo observa a Libertadores.

Vice-campeão da Sul-Americana pelo Tricolor em 2009, Diguinho já experimentou o gostinho de chegar perto de um título internacional. E o debute pode acontecer em uma competição especial. Se a Liga dos Campeões da Europa é apontada como a maior disputa entre clubes do mundo, o volante não vê a Libertadores em desvantagem e faz questão de valorizá-la.

- Dá para igualar com a Champions League, sim. Se há grandes jogadores lá fora, também há aqui dentro. E as duas competições valem vaga no Mundial.

Após o vice em 2008, a torcida do Fluminense não esconde a expectativa pela disputa deste ano. O título do Brasileirão potencializou ainda mais a confiança no título, e Diguinho não teme pressão.

- Um clube do porte do Fluminense tem que estar preparado para as cobranças pelas vitórias. Precisamos fazer o trabalho bem feito para dar conta do recado.

Para conquistar o feito inédito, o volante conta com o apoio do torcedor em todos os jogos no Engenhão.

- Chamamos o torcedor para comparecer e lotar o estádio. É sempre importante pressionar o adversário. Trata-se de uma disputa diferente, que não é todo ano que o clube tem o privilegio de estar disputando.

O Fluminense está no Grupo 3 da Libertadores, ao lado de Argentinos Juniors, América do México e Nacional do Uruguai.

Por: Cahê Mota

veja também