MENU

Diretor do Goiás, sobre perda de jogadores: 'Não temos como arriscar'

Diretor do Goiás, sobre perda de jogadores: 'Não temos como arriscar'

Atualizado: Terça-feira, 14 Dezembro de 2010 as 1:35

A possível saída de Rafael Moura não é o primeiro caso de atacantes que obtém destaque no Goiás e vão embora em busca de melhores contratos nos grandes centros do futebol nacional. Alguns jogadores também tiveram boa passagem pelo Esmeraldino, que não conseguiu segurar os destaques ao final da temporada. Dimba, Grafite, Iarley e Souza são exemplos dessa rotina que ocorre ao final de cada ano.

A principal causa da debandada de jogadores valorizados é a ausência de um vínculo maior entre os atacantes e o clube. De acordo com o diretor de futebol do Goiás, Marcos Figueiredo, os bons atacantes não são baratos e o time goiano não pode pagar altos salários por muito tempo.

- Não temos como arriscar. Não podemos pagar mais de R$ 100 mil e não ter retorno. Não há como fazer contratos de dois ou três anos com salários altos - revela.

Esse limite se dá em função de o clube não dispor de recursos para competir com seus concorrentes nacionais.

- O clube que tem uma arrecadação modesta. A nossa bilheteria é pequena e o nosso patrocínio também não é dos maiores - lamenta o dirigente.

Marcos Figueiredo destaca que a contratação de Rafael Moura foi de sua total responsabilidade, já que vislumbrava que seria difícil segurar o atacante Fernandão.

- O Rafael veio com um salário alto e fui muito criticado por isso. Mas ele deu resultados -  justifica.

Segundo ele, o Goiás só vai conseguir segurar os destaques quando forem oriundos das categorias de base.

Dispensas e contrações&S232;

De acordo com o dirigente, o clube deve fazer uma lista de dispensas que será apresentada assim que for finalizada. Ainda não há data para a divulgação da relação. Marcos Figueiredo ressalta que serão necessários 12 contratações para montar um elenco forte para a disputa do Campeonato Goiano de 2011. O clube busca atletas em todos os setores, principalmente no ataque e no meio-de-campo. O Goiás negocia a renovação dos contratos com o zagueiro Marcão e o atacante Otacílio Neto.

De acordo com o técnico Artur Neto, o Alviverde precisa contratar atacantes já que Rafael Moura, que foi bem na Copa Sul-Americana, não fdeve ficar, além de outros atletas que não tiveram um bom rendimento. Além do ataque, o comandante esmeraldino quer mais laterais e meias. Nesta última posição, o clube tem apenas Marcelo Costa.

- Precisamos de dois ou três meias. No decorrer da semana, podemos ter boas novidades para o torcedor - destaca.    

veja também