MENU

Diretores garantem a Bruno Senna que a Campos vai disputar o GP do Bahrein

Diretores garantem a Bruno Senna que a Campos vai disputar o GP do Bahrein

Atualizado: Segunda-feira, 22 Fevereiro de 2010 as 12

Depois de dois meses de incerteza, a novela sobre a presença da equipe Campos na abertura do Mundial de Fórmula 1 se aproxima do fim. O piloto Bruno Senna se reuniu neste domingo com os novos diretores da escuderia, o empresário Jose Ramon Carabante e o chefe de equipe Colin Kolles, no iate de Carabante em Alicante, na Espanha. Os dois dirigentes lhe garantiram que a equipe estará presente na primeira corrida da temporada, no dia 14, no Bahrein. E não condicionaram a presença de Bruno à obtenção de patrocínio – embora tenham deixado claro que a equipe ainda enfrenta dificuldades financeiras e qualquer reforço de orçamento seria bem-vindo. 

O sobrinho de Ayrton Senna não tem nenhum patrocínio pessoal, mas o contrato que assinou com a equipe não o obriga a levar dinheiro. O compromisso foi firmado com o antigo dono do time, Adrian Campos, mas ainda está em vigor.

E é a maior garantia de Bruno de que não poderá ser substituído, mesmo que apareçam pilotos dispostos a investir no time – casos do argentino Jose Maria Lopez, que tem apoio do governo Kirchner, e do indiano Karun Chandhok, candidatos à vaga de segundo piloto.

A Dallara, que fabrica o chassi, tem duas equipe trabalhando em turno dobrado para aprontar os carros da Campos a tempo de embarcá-los para o Bahrein. Um dos carros já tem o cockpit e todos os ajustes de banco e pedais feitos sob medida para Senna. O piloto brasileiro acaba de se mudar da Inglaterra para Mônaco, onde vai morar durante a temporada.

Mas a compra da Campos ainda pode parar na Justiça. Preterido nas negociações por Carabante, o empresário português Tony Teixeira estuda com advogados uma ação contra o time. Ele diz ter um contrato de venda assinado por Adrian Campos e afirma ter oferecido todas as garantias bancárias para efetivação do negócio.

veja também