MENU

Dirigente vê mercado complicado, diz que grupo do Fla está 80% fechado

Dirigente vê mercado complicado, diz que grupo do Fla está 80% fechado

Atualizado: Terça-feira, 20 Dezembro de 2011 as 11:11

Magal é a única contratação do Flamengo até

o momento (Foto: Paulo Ricardo/Futura Press) O anúncio da contratação do lateral-esquerdo Magal, há 12 dias, foi o único feito pelo Flamengo desde o fim do Campeonato Brasileiro. Os negócios para a próxima temporada ocorrem em ritmo lento, e a diretoria pede calma aos torcedores. O diretor de futebol Luiz Augusto Veloso diz que o mercado está concorrido. Ele lembra que no fim de 2010 o clube só contratatou dois reforços para a atual temporada. O meia Vander e o goleiro Felipe foram anunciados no antepenúltimo dia do ano.

- O mercado é complicado. Às vezes, os negócios ocorrem num timing que é diferente do nosso. Estamos trabalhando e por isso optamos por não falar em nomes. Pelo menos eu trabalho assim. Não podemos ficar valorizando jogadores se ainda não fechamos. No ano passado, havia a mesma pressão e terminamos 2010 só com duas contratações: Vander e Felipe. Muita gente criticou, mas depois trouxemos Ronaldinho, Thiago Neves e montamos uma equipe qualificada.

Entre os nomes que estão na lista de reforços que interessam estão o atacante Vagner Love, do CSKA, os zagueiros Bolívar, do Inter, e Rafa Márquez, do New York Red Bulls, e o meia Montillo, do Cruzeiro. Com exceção do jogador colorado, as demais tratativas são consideradas complexas. Para Veloso, não há motivo para alarde.

- Estamos com 70, 80% do grupo fechado. Temos uma equipe com muitos jovens da base à disposição, uma equipe forte.

Veloso não demonstra preocupação com falta de reforços no Fla (Foto: Richard Souza/Globoesporte.com) Sobre permanências, duas renovações estão pendentes. O clube tenta manter Felipe e Thiago Neves. Os dois casos estão em debate. Para ficar com o goleiro em definitivo, será preciso pagar R$ 3 milhões. O jogador pertence a um grupo de empresários e 25% são do Bragantino. Além disso, falta um acordo sobre bases salariais e o tempo de contrato - provavelmente de três anos. O vínculo atual termina no próximo dia 31. Até lá, segundo o empresário do jogador, Bruno Paiva, a preferência é do Flamengo.

Entre Thiago e o clube, tudo certo. No último sábado, as partes firmaram um pré-contrato de quatro anos. Mas o Al Hilal ainda está no caminho. Dono de 90% dos direitos econômicos do camisa 7, o clube da Arábia Saudita quer receber R$ 18 milhões pelo jogador. O problema não é o valor, mas a forma de pagamento. O Rubro-Negro quer pagar em dois anos e meio, mas os árabes querem receber o mais rápido possível. Nesta segunda, o empresário do jogador, Léo Rabello, disse que a negociação é difícil, mas que há um “carta na manga”. Segundo ele, no Brasil, Thiago só joga no Flamengo.

Caso R10: nova rodada de negociações

O clube ainda busca o entendimento com a Traffic para normalizar o pagamento de Ronaldinho. O jogador não recebe a maior parte do salário há quatro meses (R$ 3 milhões). Nesta segunda, o vice de finanças Michel Levy se reuniu com a presidente Patricia Amorim e o técnico Vanderlei Luxemburgo. Levy passou para a mandatária os detalhes da conversa que teve com o dono da empresa, J. Hawilla, na quinta passada. O dirigente acredita que a crise com a empresa parceira na contratação de R10 será resolvida. A tendência é de um consenso que elimine de vez a possibilidade de o atacante deixar o clube antes de dezembro de 2014, quando termina o contrato.        

veja também