MENU

Do rachão a jogo à vera, Bala diz que não tem medo de chute forte

Do rachão a jogo à vera, Bala diz que não tem medo de chute forte

Atualizado: Terça-feira, 1 Fevereiro de 2011 as 4:13

A vitória do Sport por 2 a 1 sobre o Vitória de Santo Antão, nesta segunda-feira, na Ilha do Retiro, pela sétima rodada do Campeonato Pernambucano, pode ser creditada a dois heróis. O primeiro, o goleiro Saulo, resolveu sair de sua meta para concluir o cruzamento na área adversária e marcar o gol do triunfo rubro-negro. No entanto, no calor da comemoração, não viu um buraco no gramado, atrás da baliza. Pisou em falso, torceu o joelho e foi substituído. Como o técnico Geninho já havia feito as três alterações a que tinha direito, um coadjuvante de luxo entrou em ação.

Com apenas 1,65m, Carlinhos Bala assumiu a responsabilidade, vestiu o uniforme de goleiro e se agigantou para garantir os três pontos para o Leão. Muitos devem estar se perguntando por que um jogador mais alto não assumiu a condição de arqueiro. Logo o baixinho Bala? Com propriedade de quem se garante, o atacante disse que não tem medo de chute forte.

- Só fui para o gol porque no rachão tenho o costume de ser goleiro, não tenho medo de bola, não. Ontem foi até o próprio Geninho quem mandou falar que eu ia para o gol. A confiança era grande, tanto minha quanto dos meus companheiros e torcedores. Fizemos uma parede ali na área, e, graças a Deus, conseguimos um bom resultado – explicou Bala, por telefone.     Mas e se o chute saísse alto, daqueles no ângulo que parecem indefensáveis? Carlinhos não tem dúvida, não quer ninguém na sua frente.

- Rapaz, se der para a gente ir, a gente vai. Senão, a gente só olha. Quando o cara chuta a bola, peço para saírem da frente para, pelo menos, ver a bola e se dá para pular.

Atual pentacampeão pernambucano, o Sport não começou bem a temporada. Em sete rodadas do Estadual, somou apenas 11 pontos e está na sexta posição na classificação. Contudo, Carlinhos Bala acredita que o Leão vai conseguir chegar entre os quatro semifinalistas.

- Passamos por um momento complicado, mas estamos evoluindo no campeonato. O Sport é um time de chegada. Antes de pensarmos no hexacampeonato, primeiro temos que chegar entre os quatro – concluiu.

O Sport volta a campo nesta quinta-feira, na Ilha do Retiro, contra o líder Central, às 21h (de Brasília).    

veja também