MENU

Dôssie do Atlético-MG: apostas, dúvidas e certezas de Dorival Júnior

Dôssie do Atlético-MG: apostas, dúvidas e certezas de Dorival Júnior

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2011 as 9:32

Com um elenco de 34 atletas, o Atlético-MG tem à sua disposição três times completos. A fartura é grande em todas as posições. No gol são três jogadores, isso sem contar Fábio Costa, que apesar de ainda ter contrato com o time, nem sequer está em Belo Horizonte. Para a zaga, são seis atletas, sendo que dois, Leonardo Silva e Luiz Eduardo, chegaram neste ano. As laterais têm cinco. O meio-campo é o setor com mais jogadores: 13. Já o ataque, mesmo com a saída de Obina e Diego Tardelli, tem sete atletas, incluindo Guilherme, ex-Cruzeiro, que chegou na última semana. Mesmo com todos esses jogadores, o técnico Dorival Júnior dá mostras de que ainda não tem o time definido, isso decorridos dois meses do início Campeonato Mineiro.

Montagem do elenco

O diretor de futebol do Atlético-MG, Eduardo Maluf, encara com naturalidade o fato de Dorival Júnior ainda buscar pela equipe ideal. O dirigente ressalta que, apesar do farto número de atletas, mais de dez reforços, o time ainda não está bem.

- Você não monta um time da noite para o dia. Você monta um elenco primeiro, e depois um time. E para montar o time, você tem esses percalços: joga mal, não corresponde. Porque se fosse fácil, um time com poder econômico bom contrata os 11 melhores de todas as posições e coloca para ganhar todos os títulos. Por isso o futebol é bom, por isso o futebol é apaixonante. É muito difícil montar um time. Nós ainda temos um elenco com jogadores que quase não atuaram como o Patric, que ficou em campo só uns 45 minutos, e o Guilherme (lateral), que não jogou. Nós entendemos e vemos que ainda não é o time que a gente quer.

Laterais

O Atlético-MG disputa duas competições no momento, o estadual e a Copa do Brasil. Além disso, o time teve um amistoso oficial durante a pré-temporada, contra o River Plate-URU. Em 11 jogos, Dorival Júnior já usou cinco jogadores para a lateral direita: Patric, uma vez, e Rafael Cruz, duas vezes, ambos originais do setor. No entanto, os dois passaram por problemas de contusão, sendo que Rafael Cruz, após 45 dias afastados, voltou aos treinos na semana passada. Além deles, a posição já teve Jackson (quatro vezes), Serginho (três vezes) e Bernard (uma vez).

Pelo lado esquerdo o time tem Leandro, Eron e Guilherme, esse último que estava no Valladolid, da Espanha. No entanto, Guilherme ainda busca melhorar o condicionamento físico, já que a última vez que entrou em campo pelo clube espanhol foi em 18 de dezembro. Nessas 11 partidas da temporada, Dorival usou Leandro em oito jogos, Eron em dois, e Richarlyson, improvisado, em um.

Gol e zaga

No gol, Renan Ribeiro é titular absoluto, mesmo com algumas falhas nas últimas partidas. No ano passado, Renan ganhou a posição quando Dorival assumiu o time. Na época, o Galo ainda lutava para escapar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

A dupla de zaga de Dorival foi formada por Werley e Réver em oito jogos. No entanto, nas últimas duas partidas, Leonardo Silva, contratado neste ano, compôs o setor ao lado de Réver. A tendência é que Dorival mantenha as ‘Torres Gêmeas’ para a partida desta quinta, contra o Grêmio Prudente, pela Copa do Brasil.

13 homens e poucos segredos

O meio-campo, com 13 jogadores, parece mais definido. Dorival Júnior vem montando o setor na maioria dos jogos com Richarlyson, Serginho, Renan Oliveira e Ricardinho. O volante Zé Luís começou jogando em seis ocasiões, geralmente quando Serginho foi para a lateral, ou nos jogos da Copa do Brasil, quando Richarlyson não pôde atuar.

Toró, ex-Flamengo, entrou como titular apenas em uma partida e parece que ainda não ganhou a confiança de Dorival Júnior. Mancini, que se considera atacante, não começou nenhum jogo entre os 11, e quando entra no decorrer das partidas, alterna entre o meio-campo e o ataque.

A aposta de Dorival

Já o ataque do Alvinegro oferece, no momento, apenas dúvidas. Antes da saída de Diego Tardelli, que foi para o futebol russo, era certo dizer que o setor era formado por ele e mais um, geralmente revezando-se Magno Alves e Neto Berola. Com a saída do artilheiro, Dorival ganhou mais uma dúvida.

Ricardo Bueno, que chegou ao Atlético-MG com as credenciais de artilheiro do Campeonato Paulista 2010, não foi muito feliz na temporada passada. Agora, o técnico aposta no jogador. Este ano, Bueno já marcou dois gols. Desde sua escalação como titular, Dorival vem optando por Jobson ou Neto Berola. No entanto, no coletivo de sexta-feira, nova alteração: Magno Alves, que jogou algumas partidas com Tardelli, foi a opção para jogar ao lado de Bueno. A nova dupla poderá ser testada contra o Grêmio Prudente.

veja também