MENU

Douglas leva o Grêmio à terceira Vitória seguida: 1 a 0 no São Paulo

Douglas leva o Grêmio à terceira Vitória seguida: 1 a 0 no São Paulo

Atualizado: Segunda-feira, 12 Setembro de 2011 as 8:28

Partiu dos pés de Douglas a alegria gremista na tarde deste domingo. No Estádio Olímpico, ele marcou o gol do 1 a 0 sobre o São Paulo, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Foi a terceira vitória consecutiva do Grêmio no Campeonato Brasileiro. O resultado freia a ascensão dos visitantes.

Há pouco ameaçado pelo ingresso na zona de rebaixamento, o Grêmio é agora o 12º colocado, com 30 pontos - e um jogo a menos. Já o São Paulo desperdiçou nova oportunidade de chegar à liderança, permanecendo com 41, e caindo para 3º.

Pela 24ª rodada o São Paulo entra em campo às 18h do próximo sábado, contra o Ceará, no Estádio do Morumbi. Nos mesmos dia e horário (de Brasília), o Grêmio visita o Vasco, em São Januário.    

Ao lado de Escudero, Douglas festeja o gol que deu a vitória ao Grêmio (Foto: Ag. Estado)     Zero a zero, mesmo

Ninguém chutou a gol no primeiro tempo. E nem foi por reverência dos gremistas a Rogério Ceni e seus 1.001 jogos, ou por respeito dos são-paulinos a Victor, novamente convocado para a Seleção Brasileira. Foi porque ninguém conseguiu chutar.

Para bloquear as investidas laterais do anfitrião, Adilson Batista apresentou uma variação tática. Sem a bola, desfazia-se o losango usual, com Cícero e Casemiro alinhando-se pelos lados aos volantes, e assim fechando os espaços de Mário Fernandes e Julio Cesar.

Ao Grêmio, restaram as trocas de passes pelo centro, com Douglas, Marquinhos, Escudero e André Lima tabelando, O quarteto alcançou uma boa média de acerto nos passes. Somados, executaram 57 e erraram apenas seis.

Mas as infiltrações não aconteceram, assim como o contra-ataque do São Paulo desapareceu. Com o jogo restrito às intermediárias, com sucessões de desarmes e roubadas, a atenção voltou-se ao árbitro Heber Roberto Lopes.

Quando apresentou cartão amarelo a Marquinhos, por simulação - em lance de pênalti alegado pelo meia tricolor - recebeu uma das maiores vaias da história do Olímpico, estádio que em dezembro do próximo ano dará lugar à nova Arena em construção.

Linha de fundo

Apresentadas aos jogadores ofensivos de Grêmio e São Paulo as mesmas dificuldades do primeiro tempo, a etapa final insinuava a repetição dos fatos. Muita marcação, poucos espaços, quase nenhuma finalização.

Ao menos, os goleiros foram notados pelos mais de 30 mil torcedores. Quando o meia Douglas venceu Rogério Ceni, aos 19, Victor já havia praticado algumas defesas.

E o gol da vitória gremista nasceu exatamente daquela jogada que Adilson Batista planejara impedir: Julio Cesar conseguiu vencer as duas linhas de marcação do São Paulo, chegando à linha de fundo. E quando o lateral gremista encontra o caminho para cruzar, transforma o passe em assistência. De primeira, o camisa 10 finalizou com categoria e precisão, no canto esquerdo de Rogério.

Em festa, os torcedores comemoraram a reafirmação de uma nova história: o Estádio Olímpico é novamente um caldeirão que impõe muita resistência aos visitantes.                  

veja também