MENU

Dracena lamenta estragar festa de Pelé: 'Foi um presente de grego'

Dracena lamenta estragar festa de Pelé: 'Foi um presente de grego'

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 1:15

Capitão da equipe santista, o zagueiro Edu Dracena lamentou a derrota alvinegra por 3 a 2 para o Grêmio Prudente, no dia em que o time se preparava para dar um presente ao seu torcedor mais ilustre. Na noite deste domingo, um dia depois do aniversário de 70 anos de Pelé, o Peixe caiu na Vila Belmiro diante do lanterna do Campeonato Brasileiro e viu suas chances de chegar ao título diminuírem – faltam sete rodadas para o fim da competição.

Pelé, que não esteve na Vila Belmiro, foi homenageado pelos torcedores e pelo clube, que deu a Neymar a missão de carregar a camisa 70, alusiva à idade do Rei. E Dracena, envergonhado pela derrota, afirmou que pediria desculpas a maior atleta da história do Peixe, caso o encontrasse.

- Com certeza faria isso, pois demos um presente de grego a ele. Não conseguimos presentear o Pelé, que tanto fez pelo Santos. Não queríamos (o resultado), mas são coisas que acontecem. É difícil explicar o inexplicável. Não conseguimos o mínimo, que era empatar e dar uma condição melhor para nós – afirmou Dracena.

Com a derrota de virada para o Prudente – o Peixe chegou a estar vencendo a partida por 2 a 0 no primeiro tempo – o Santos permanece com 48 pontos, na quarta posição. São seis de diferença para o Fluminense, líder do Campeonato Brasileiro. Apesar da distância, o capitão santista afirma que ainda acredita na Tríplice Coroa – união dos títulos do Paulista, da Copa do Brasil e do Brasileirão.

- Eu ainda acredito no título do Santos e não vou desistir. Enquanto houver chance, vamos buscá-lo até o final. A nossa vontade foi maior que qualquer posicionamento ou jogada. A vontade de ajudar o time falou mais alto. Mesmo com dois a mais (Leonardo e Flávio foram expulsos), bateu o desespero, a ansiedade e a pressão da torcida. São coisas que temos de aprender no futebol, até mesmo os atletas mais experientes.

Por: Julyana Travaglia

veja também