MENU

Duda dispensa desculpas do pivô Manuil: 'Não guardo rancor, mas não quero vê-lo'

Duda dispensa desculpas do pivô Manuil: 'Não guardo rancor, mas não quero vê-lo'

Atualizado: Sexta-feira, 12 Fevereiro de 2010 as 12

Do lance, Duda pouco se lembra. Apenas os quatro pontos sobre o supercílio direito aparecem para confirmar que, de fato, aconteceu. Atingido com uma cotovelada pelo pivô Manuil , durante a partida contra o Vila Velha, na última sexta-feira, o armador do Flamengo diz que não guarda mágoas do rival. E tampouco quer um pedido de desculpas.

- Pelo que me falaram, ele queria me encontrar no hotel depois do jogo, mas eu não quis. Não sou amigo dele, não tem por que encontrar para pedir desculpas – disse o jogador.

Duda, que até ser atingido no quarto final da partida vinha sendo o destaque do Flamengo no jogo, não entende o motivo da agressão. Acusado de ter provocado o pivô rival antes do lance, o armador rubro-negro nega.

- Não sei se foi o fervor do jogo ou por eu estar tão bem, mas não dá para entender. Eu nunca fiz nada com ninguém, não foi assim que eu aprendi a jogar basquete. Não guardo rancor nem mágoa, mas não quero vê-lo. 

O técnico rubro-negro, Paulo Chupeta, conhece Manuil há algum tempo e disse que não esperava pela atitude do pivô.

- Eu fiquei muito assustado na hora. Não vi o lance, só o Duda caído no chão. Minha filha mais velha sofreu um acidente e também ficou inconsciente durante um tempo, e demorou muito para se recuperar depois. Mas graças a Deus, ele está bem. Eu esperava de qualquer um, menos do Manuil – afirmou.

Menos de 48 horas depois do lance, Duda já estava em quadra pelo Fla, na vitória sobre o Saldanha da Gama. Enquanto isso, Manuil espera a definição de sua punição pelo lance. Com o NBB em recesso, a equipe rubro-negra só volta à quadra no dia 26 de fevereiro, às 20h, contra o Joinville.

Por: João Gabriel Rodrigues

veja também