MENU

Dunga cobra comprometimento para Ronaldinho Gaúcho ir à Copa de 2010

Dunga cobra comprometimento para Ronaldinho Gaúcho ir à Copa de 2010

Atualizado: Segunda-feira, 9 Novembro de 2009 as 12

O técnico Dunga admitiu, em entrevista publicada neste fim de semana pela revista IstoÉ, que pode convocar o meia Ronaldinho Gaúcho para disputar a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, com a seleção brasileira.

As boas atuações recentes do jogador com a camisa do Milan, no entanto, não serão suficientes: Dunga cobra comprometimento do atleta, a quem levou para a Olimpíada de Pequim-2008, mas que vinha sendo acusado nos últimos tempos de estar desinteressado do futebol.

''Ele é um jogador diferenciado. Depende dele. Quero contar com os melhores. Mas nossa seleção deixou de ser apenas uma questão exclusivamente técnica. É uma questão de competitividade e comprometimento. Comigo as coisas são bem mais simples. A seleção é mais importante do que todos. Todo mundo se apresenta no mesmo dia, dorme e acorda no mesmo horário''.

Dunga negou que tenha convocado Ronaldinho Gaúcho para a Olimpíada apenas por pressão do presidente da CBF, Ricardo Teixeira.

''O presidente já tinha falado com a gente antes. Tínhamos nos reunido e traçado na preparação da seleção olímpica. O presidente me perguntou se ainda pensava no Ronaldinho na seleção principal. E eu falei que sim. Ninguém tirou o chapéu de ninguém''.

O Brasil foi medalha de bronze na Olimpíada, e uma das cenas mais marcantes foi Ronaldinho Gaúcho falando ao celular no pódio, á espera do prêmio. Depois disso, o jogador só foi chamado mais uma vez para a seleção principal, em setembro do ano passado.

Campeão da Copa América, da Copa das Confederações e primeiro colocado nas eliminatórias sul-americanas, Dunga disse ainda que deixará o cargo após o final da Copa do Mundo de 2010 "para dar oportunidade a outra pessoa".

Nesta semana, Dunga reúne a seleção, apenas com jogadores que atuam no futebol europeu, para dois amistosos no Oriente Médio: contra a Inglaterra, no sábado (14), em Doha, no Qatar, e Omã, no dia 17, em Muscat, capital desse país.

veja também