MENU

Durante os treinos, Marcão e Luciano são os 'braços' da seleção

Durante os treinos, Marcão e Luciano são os 'braços' da seleção

Atualizado: Sexta-feira, 23 Setembro de 2011 as 10:24

Uma cortada atrás da outra por horas a fio. A repetição que de um lado molda o talento, do outro é profissão para Marcão e Luciano. Os dois são ajudantes da comissão técnica da seleção masculina e treinam com o grupo em Cuiabá durante o Campeonato Sul-Americano. Mesmo com o papel coadjuvante, a dupla se prepara e torce para, no domingo, poder anotar mais um título em seus currículos.

- A princípio vim para ficar apenas um, dois meses, e estou até hoje. Adoro. É muito gratificante participar de todas as conquistas, cada título deles. Nós somos um grão de areia na praia, mas acabamos vivendo junto isso. A princípio vim para ficar apenas um, dois meses, e estou já há seis anos no grupo – disse Luciano.

Marcão (esq) e Luciano (dir) são os braços da seleção masculina (Foto: Helena Rebello/Globoesporte.com)

  O curitibano chegou ao Brasil através do auxiliar técnico Rubinho, com quem trabalhou em na capital paranaense. Luciano atuaou na quadra, tentou a sorte na praia e, quando parou de jogar, cursou Educação Física. Marcão teve uma trajetória semelhante, mas já está perto de completar uma década nos bastidores da equipe verde e amarela.

Além do tamanho do bíceps, que diz ter cerca de 50cm, o fluminense impressiona pela força. Durante a Liga Mundial, topou um desafio e moveu um carro com um cabo de aço preso à cintura. Durante a preparação para o Sul-Americano, participou de uma brincadeira do Globo Esporte e venceu fácil os atletas brasileiros na queda de braço (relembre no vídeo ao lado). - É tudo sempre na brincadeira. Essa do carro foi uma pegadinha. O colocaram numa rampa e, quem conseguisse puxar a caminhonete, levava para casa. No final fiquei com uma dor nas costas danada e levei um vale-suco – contou Marcão, rindo bastante.

A dor, ou o incômodo pelas repetições, é algo com que a dupla tem que conviver. Quando os atletas são divididos em dois grupos nos treinos técnicos, eles disparam as bolas para as duas séries, sem descanso. A vantagem é que, assim como os profissionais, têm à disposição, caso necessitem, os serviços médicos e de fisioterapia.

No trabalho: Marcão e Luciano soltam a mão sobre os jogadores brasileiros

 em treinamento de defesa. Na foto, contam com o reforço de JP (centro),

 braço da seleção juvenil (Foto: Helena Rebello/Globoesporte.com)

  - Graças a Deus nunca tive uma lesão, nada grave nesse período. Tem dias em que o trabalho é realmente puxado, que ficamos das oito até depois das 11h direto. Mas, se precisarmos, recebemos o mesmo atendimento, na mesma estrutura – contou Luciano.

Com a dupla na torcida, o Brasil ainda fará dois jogos em busca do 28º título Sul-Americano. A seleção enfrenta Venezuela e Argentina, às 12h (horário de Brasília) de sábado e domingo, respectivamente, com transmissão ao vivo do canal SporTV.          

veja também