MENU

Em baixa, natação feminina quer ouro no Pan para se reerguer

Em baixa, natação feminina quer ouro no Pan para se reerguer

Atualizado: Quarta-feira, 28 Setembro de 2011 as 9:55

Tatiana Lemos vai em busca de mais uma medalha no

Pan (Foto: João Gabriel / GLOBOESPORTE.COM)

  O momento está longe de ser bom. Enquanto os homens brilham com as medalhas de Cesar Cielo, Felipe França e Thiago Pereira e o surgimento de revelações como Bruno Fratus, as mulheres enfrentam um período de seca nas piscinas. Sem grandes conquistas nos últimos anos, a natação feminina sofre para se encontrar. Às vésperas do Pan-Americano, as nadadoras sonham com o início de dias melhores nas águas de Guadalajara.

Tatiana Lemos Barbosa é uma das mais experientes nadadoras brasileiras. Já são cinco medalhas em três edições de Pan-Americano – Winnipeg-1999, Santo Domingo-2003 e Rio de Janeiro-2007. Perto de sua quarta competição, a veterana acredita que um bom resultado em Guadalajara poderá mudar o momento da equipe feminina.

- O Pan é um trampolim para os Jogos. Não só pelo nível, mas também pela visibilidade que vai dar. E a natação feminina precisa disso. O Pan é um momento excelente para mudar esse panorama. Com um bom resultado, aumenta a exposição na mídia e aumenta a visibilidade. Um bom resultado lá é fundamental – afirmou a nadadora.

Única brasileira a conquistar índice para o Mundial de Xangai em uma prova individual, Daynara de Paula é mais uma a acreditar que o Pan é um bom início para a natação feminina do país crescer para os Jogos de Londres.

- Acho que, no Pan, vamos ter mais chances das meninas conseguiram índice para as Olimpíadas. No Pan, nós temos muitas chances de medalhas e nossos revezamentos estão fortes. Acho que vai dar certo – disse Daynara.

Daynara durante o Mundial: confiante em bom desempenho em Guadalajara (Foto: Satiro Sodré / AGIF)

  Tatiana ainda não tem índice para os Jogos de Londres. E não acredita que será em Guadalajara que irá alcançá-lo. Por conta da altitude da cidade mexicana (1.570m acima do mar), a nadadora do Pinheiros diz que o mais importante é a conquista de medalhas.

- Acho que o índice não sairá no Pan. O mais importante são as medalhas. Vai ser uma competição acirrada. Não significa que ninguém conseguirá marcar o tempo desejado, mas é difícil. Natação é momento. O foco é na medalha.

Tatiana deverá participar de cinco provas em Guadalajara: 100m livre, 200m livre, 4x100m livre, 4x200m livre e 4x100m medley. A confiança é tanta que ela espera voltar do México com medalhas em todas.

- Espero conseguir medalhas nas cinco. O objetivo é esse. E o trabalho vem sendo feito para isso - garantiu Tatiana.          

veja também