MENU

Em Belo Horizonte, Kerlon busca auxílio para se livrar das contusões

Em Belo Horizonte, Kerlon busca auxílio para se livrar das contusões

Atualizado: Quinta-feira, 24 Junho de 2010 as 10:43

Kerlon, o 'Foquinha', ex-jogador do Cruzeiro

(Foto: Rodrigo Fuscaldi/Globoesporte.com)  

O atacante Kerlon, de 22 anos, ex-jogador do Cruzeiro, de férias em Belo Horizonte, aproveitou para ser examinado pelo médico Rodrigo Lasmar. Na última temporada, atuando pelo Ajax da Holanda, emprestado pela Internazionale de Milão, o 'Foquinha' sofreu mais uma grave lesão no joelho esquerdo e ficou parado por vários meses.

O jogador foi operado e se recuperou. Porém, dores no tornozelo esquerdo fizeram com que ele se preocupasse novamente. Afinal de contas, Kerlon já sofreu duas intervenções cirúrgicas no local. Já em relação à contusão sofrida na Holanda, Kerlon desconversou.

- Tive uma contusão no joelho, mas foi uma coisa bem fácil de ser resolvida. Fiquei um, dois meses parado, mas hoje já estou pronto para outra. Vim para fazer uns exames, para ver se estou realmente inteiro para me apresentar no dia 10. O atacante convive, desde o início de sua carreira, com contusões constantes. Quase sempre, o destino é a mesa de cirurgia. Em cinco anos como profissional, já foram seis operações, duas no tornozelo esquerdo, uma no joelho direito e três no joelho esquerdo.

Se tiver que fazer mais uma cirurgia, eu faço, sem problemas" Kerlon - Cada vez que passo por uma cirurgia, tento me superar com toda força. O que é nosso está escrito. Não tenho pressa para nada. Se tiver que fazer mais uma, mais duas, eu faço, não tem problema.

Ainda nas categorias de base do Cruzeiro, o atleta se tornou um grande destaque, justamente por ter inventado o 'drible da foca', quando passava pelos adversários fazendo embaixadinhas com a cabeça. Kerlon se tornou uma verdadeira atração nas partidas da equipe celeste.

O jogador virou notícia no Brasil e no mundo, principalmente após um polêmico lance envolvendo o lateral-direito Coelho, então no Atlético-MG. Na oportunidade, o Kerlon tentou passar pelo adversário, que o recebeu com uma entrada duríssima. O árbitro da partida não teve dúvidas e expulsou Coelho de campo. O sucesso foi tão grande, que o jogador foi atuar na Itália, onde acertou um contrato de cinco anos com a Inter de Milão.

- Eu tenho mais três anos e meio de contrato. Estive também no Ajax, que é um time que revela jovens, onde eles jogam. Gostei, foi uma experiência nova. Fiz partidas interessantes, mas me machuquei também, como sempre. Mas isso é normal para mim.

O médico Rodrigo Lasmar, que atendeu Kerlon em sua clínica particular, disse que ainda não pode dar nenhuma opinião concreta sobre a situação do jogador. De qualquer forma, ele confirmou que Kerlon sente um incômodo no tornozelo esquerdo e que, por isso mesmo, pediu uma série de exames - inclusive uma ressonância magnética - para fazer uma avaliação mais profunda.

 A carreira de Kerlon no futebol profissional começou aos 17 anos, mas os problemas também aparecerem cedo. No Cruzeiro, ele sofreu a primeira contusão no tornozelo esquerdo, que o afastou por sete meses. Depois, rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito e ficou mais sete meses parado. Em seguida, houve nova contusão no joelho esquerdo.

Mesmo com todos esses problemas, nem passa pela cabeça de Kerlon encerrar a carreira. Muito antes pelo contrário, o jogador quer continuar e brilhar, na Europa ou no Brasil.

- Eu pretendo jogar, seja aonde for. Claro que, entre Europa e Brasil, há uma diferença muito grande, até em termos de adaptação e de clima, saudade da família e tudo mais. Mas eu consegui me adaptar bem e pretendo ficar ali mais uns cinco anos e, depois, voltar para cá. Voltar para o Brasil, como todo jogador gosta de voltar.

Sobre a relação com o Cruzeiro e a possibilidade de um dia voltar a atuar com a camisa celeste, Kerlon foi receptivo e tratou logo de afastar qualquer comentário sobre eventuais rusgas com a diretoria do clube mineiro.

- Eu não tenho nada contra o Cruzeiro, contra o presidente. Pelo contrário, estou sempre acompanhando. Torço muito pelo Cruzeiro. É um clube onde todo mundo quer jogar, e eu pretendo voltar sim, mas não depende só de mim. Mas, se tiver proposta, não tenho dúvidas que volto.     Por Rodrigo Fuscaldi Belo Horizonte fonte: globo.com MCS

veja também